Escrevi uma coluna não faz muito tempo sobre um documentário que denunciava perseguição à cientistas defensores do chamado “Inteligent Design”, ou criacionismo.

No filme “Expelled” ainda inédito no Brasil, o ator/economista/palestrante/advogado/apresentador Ben Stein, sai mundo a fora coletando evidências para provar que a disputa entre evolucionistas e criacionistas é mais política do que científica. Pois é, o dito cujo foi o orador oficial da cerimônia de formatura aqui na Liberty University semana passada.

Ben Stein ficou mundialmente famoso ao interpretar o professor monófono e sorumbático de uma das cenas do filme “Curtindo a Vida Adoidado” (1986), que também catapultou o ator Matthew Broderick à condição de astro. Além disso, Ben Stein é um economista e advogado respeitado, formado em Columbia e Yale e tem sido frequentador assíduo de programas de debates e talk shows por mais de 30 anos.

Quando soubemos da escolha de Ben Stein para orador da formatura, alguns ficaram meio sem saber de quem se tratava, outros acharam que seu discurso seria uma chatice. De minha parte, vibrei desde de o momento que soube da notícia. Venho acompanhando Stein em suas aparições em debates já há um bom tempo e sempre fique impressionado com o seu preparo e principalmente com sua coragem. Ben sempre se posiciona de forma corajosa e autêntica e nunca procura agradar a “gregos e troianos” e ser politicamente correto. Achei uma ótima escolha.

Um dos fatores que o levaram a receber o convite da Liberty, além de seu envolvimento com o filme “Expelled”, foi o fato de que ele havia originariamente sido convidado para ser o orador oficial da formatura da Universidade de Vermont, mas por conta de reações negativas e mesmo de um boicote proposto por alunos de extrema esquerda, teve de declinar o convite. A Liberty então achou que seria uma ótima oportunidade para tê-lo na nossa cerimônia.

Quem achava que seu discurso seria monótono e mesmo chato, se surpreendeu bastante; Ben foi bastante espirituoso e bem humorado, impôs um bom ritmo e usou uma inflexão variada e dinâmica, conseguindo manter a atenção das mais de 10 mil pessoas presentes à cerimônia. Durante a apresentação fiquei sabendo de alguns detalhes que desconhecia. Primeiro que Ben Stein escreveu discursos e foi conselheiro dos presidentes Richard Nixon e Gerald Ford, e em segundo lugar, que ele é um ativista que defende fervorosamente a proibição do aborto nos Estados Unidos.

Ben Falou bastante sobre o filme “Expelled” e sobre as dificuldades de expressar opinião conservadora em uma sociedade cada vez mais secularizada. Ben que é Judeu, afirmou que a crença em Deus é a unica esperança de termos uma sociedade mais equalitária e justa, e que a super-valorização da ciência tem levado a humanidade a distorções e monstruosidades com o Nazismo e a eugenia.

De forma geral todos ficaram satisfeitos com o discurso e principalmente com a simpatia dele, que se colocou à disposição para fotos e apertos de mão com alunos e professores depois da cerimônia. o Cristianismo precisa de mais pessoas como Ben Stein que não tem medo de s expor e receber criticas por conta de suas crenças. O ser “politicamente correto” é das mais perigosas posturas que um cristão pode ter e deveria ser rejeitado veementemente por todos nós. Precisamos ser como Paulo, que enfrentou filósofos, doutores da Lei e o próprio império romano e nunca se envergonhou do evangelho de Jesus Cristo.

Um abraço,

Leon Neto