Área comercial dominada por cristãos em Adara, no sul do estado de Kaduna, na Nigéria
Área comercial dominada por cristãos em Adara, no sul do estado de Kaduna, na Nigéria

Em Adara, no sul do estado de Kaduna, na Nigéria, a violência causou muitas mortes e grande prejuízo na última quinta-feira (18).

O comércio da região é dominado por cristãos, considerados os habitantes nativos de Adara.

Segundo relatos, um muçulmano que roubou um saco de grãos, foi pego e agredido. Os muçulmanos (de maioria Hausa, conforme informa a BBC) revidaram atacando os cristãos.

Os ataques começaram na feira, mas se estenderam a todo o comércio, com armas e ateando fogo às lojas.

A violência se intensificou rapidamente, causando a morte de 58 pessoas. Inúmeras lojas e outras propriedades também foram destruídas.

No dia seguinte, o líder do governo de Adara, Maiwada Galadima, foi sequestrado com a esposa no caminho de volta para Kaduna.

O assistente ligado a ele foi morto a tiros durante o ataque; e eles são todos cristãos.

No domingo (21), foi decretado um toque de recolher de 24 horas. O presidente da Nigéria, Muhammadu Buhari, comentou sobre o conflito no Twitter: “A violência em Kaduna é condenável. A polícia foi autorizada a fazer todo o possível para restaurar a calma. Uma força de intervenção especial foi enviada aos pontos de conflito”, afirmou o presidente.

O delegado da cidade, Ahmada Abdur-Rahman, disse que 22 pessoas foram detidas.

Entre conflitos sem fim que fazem tantas vítimas na Nigéria, Esther é uma delas. A jovem cristã foi sequestrada pelo Boko Haram e, enquanto no cativeiro, foi abusada e engravidou. Após ser libertada, teve que enfrentar o preconceito da comunidade e hoje luta para criar sua filha, Rebecca. Você pode escrever cartões de encorajamento para Esther até o dia 31 de dezembro. Faça-a saber que não está sozinha nessa batalha.

Fonte: Missão Portas Abertas