A Rede 21, do Grupo Bandeirantes, mudou de idéia na última hora e teria demitido cerca de 100 pessoas, muitas delas recém-contratadas para tocar a programação da emissora UHF.

Após o fim precoce do contrato com a PlayTV, em julho, a Rede 21 optou inicialmente por seguir com uma grade própria, mas acabou fechando contrato com a Igreja Mundial do Poder de Deus, que terá assombrosas 22 horas diárias de programação.

Segundo o Estadão, a Band fala que o número de demitidos chega a apenas dez pessoas, entre elas as apresentadoras Syang e Jackeline Petkovic.

O contrato com a igreja vale por cinco anos, e só não é de 24 horas por dia porque a lei obriga que as redes tenham pelo menos duas horas diárias de programação jornalística. O novo diretor de programação é o pastor Ronaldo Didini, ex-Igreja Universal.

Didini rompeu com o bispo Edir Macedo em 1997, após uma série de desavenças, relata uma edição da IstoÉ de agosto daquele ano.

Em 1996, Didini foi enviado para uma espécie de exílio na África do Sul, como punição por seu apoio público ao então candidato malufista a prefeito de São Paulo, Celso Pitta. Ele já havia sido mandado para exterior anteriormente, diz a IstoÉ, por ter apoiado o bispo Sérgio Von Helde, que chutara a imagem de Nossa Senhora Aparecida em um programa religioso da TV Record.

A Igreja Mundial do Poder de Deus é uma igreja evangélica fundada em Sorocaba em 1998 por Valdemiro Santiago (ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus). Sua sede fica no bairro do Brás, em São Paulo, Seus lemas são “Jesus Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre” e “A mão de Deus está aqui”.

Fonte: Cidade Biz