Escultura da cabeça de um rei em exposição no Museu de Israel, datando dos tempos bíblicos.
Escultura da cabeça de um rei em exposição no Museu de Israel, datando dos tempos bíblicos.

A escultura da cabeça de um rei com 5 centímetros de altura, datada de quase 3 mil anos, desencadeou um mistério moderno. Embora os pesquisadores tenham a confirmação do período bíblico, eles ainda tentam descobrir em qual rei o monumento foi inspirado.

A escultura é um exemplo raro da arte de Israel no século 9 a.C. — um período associado a reis bíblicos. Requintadamente preservado, o monumento apresenta um pouco de barba perdida e uma coroa de ouro representando a realeza.

Arqueólogos descobriram a figura em 2017, durante escavações em um local chamado Abel-Bete-Maaca, localizado ao sul da fronteira de Israel com o Líbano, perto da moderna cidade de Metula.

O local deu lugar a uma aldeia palestina chamada Abil al-Qamh, que tem o nome derivado da cidade mencionada no livro dos Reis, de acordo com arqueólogos do século 19.

Durante o século 9 a.C., a antiga cidade estava situada entre três potências regionais: o reino aramaico em Damasco, a cidade fenícia de Tiro e o reino israelita, com sua capital em Samaria. O trecho de 1 Reis 15:20 menciona Abel-Bete-Maaca em uma lista de cidades atacadas pelo rei de Arameia, Ben-Hadade, em uma campanha contra o reino de Israel.

“Esta localização é muito importante porque sugere que o local pode ter mudado de mãos entre essas organizações, mais provavelmente entre Aram-Damasco e Israel”, disse a arqueóloga da Universidade Hebraica, Naama Yahalom-Mack, que liderou a escavação em conjunto com a Universidade Azusa Pacific, da Califórnia.

Em um movimento raro, arqueólogos e curadores do Museu de Israel em Jerusalém se apressaram em colocar a peça em exibição pública. Um relatório detalhado será publicado na edição de junho da revista Near Eastern Archaeology.

Eran Arie, curador da Idade do Ferro e Arqueologia Persa do Museu de Israel, disse que a descoberta é única. “Na Idade do Ferro, se existe alguma arte figurativa — e em grande parte não existe — é de muito baixa qualidade. E isso é de excelente qualidade”, comenta.

Como a datação através do carbono 14 não pode fornecer uma data mais exata de criação da estátua, a não seu século, o campo de candidatos em potencial é grande. Yahalom-Mack afirma que ela pode representar os reis bíblicos Ben-Hadade ou Hazael de Damasco, Acabe ou Jeú de Israel, ou Etbaal de Tiro.

“Estamos apenas adivinhando aqui, é como um jogo. É como dizer um ‘olá’ ao passado, mas não sabemos mais nada sobre isso”, declarou Yahalom-Mack.

Enquanto os estudiosos discutem se a cabeça era uma peça independente ou parte de uma estátua maior, a equipe da Universidade Hebraica deve reiniciar a escavação neste mês no mesmo local.

Fonte: Guia-me