O secretário de Turismo de Foz do Iguaçu, Sérgio Lobato, recebeu na segunda-feira (23) pastores e padres das igrejas do município, além do secretário de Turismo da Província de Missiones, Rubem Peralta, da Argentina.

Em discussão, a mudança do nome do principal conjunto de saltos das Cataratas do Iguaçu, conhecido como “Garganta do Diabo”, que pode virar “Voz de Deus” ou mesmo “Salto União”, o que ainda não foi definido.

Por se tratar de um Patrimônio da Humanidade, um documento será enviado a Unesco, informou Lobato, acrescentando que o assunto deve ser amplamente discutido com todo o setor turístico e sociedade. O secretário se disse favorável à mudança. Um novo encontro deve ocorrer na próxima quinta-feira, em local e horário ainda a ser definido. O objetivo será ampliar as discussões e dar continuidade aos trabalhos para iniciar o processo de mudança.

A idéia já é motivo de pesquisa popular no município, país, e pode ser estendida ao mundo, através de uma enquete pela internet, a exemplo do que já ocorre sobre o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, que concorre ao título de maravilha construída no mundo. (ver site: www.corcovado.com.br). O monumento também está sendo defendido pelo cardeal Dom Eusébio Scheid, como um lugar de bênção e não somente um ponto turístico.

A idéia de mudar o nome do salto da Garganta do Diabo das Cataratas do Iguaçu vem sendo defendida por religiosos, entre católicos e pastores e têm o apoio irrestrito dos fiéis e seguidores iguaçuenses. “Nas 220 igrejas evangélicas das várias denominações, freqüentadas por mais de 45 mil pessoas, o apoio à mudança do nome é unânime”, diz o pastor Nélio Sander, que integra o Conselho de Pastores do município.

Para o padre Edivaldo Bernardo, da Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, na Vila A, “ter em um santuário ecológico como as Cataratas do Iguaçu, uma concreta manifestação divina. É no mínimo contraditório ter um salto que faz alusão ao Diabo”, diz. A igreja católica tem 22 paróquias e 220 igrejas, além das capelas. O secretário Peralta também se disse a favor da idéia que será discutida também na Argentina.

Já os evangélicos defendem as citações bíblicas que reforçam que a palavra tem poder e que o nome do adversário do bem em um local visitado por mais de um milhão de pessoas todos os anos, pode influenciar negativamente a região. Além da sugestão da “Voz de Deus”, o nome “Salto União” seria uma alusão ao fato de que é no salto que está a linha divisória entre Brasil e Argentina, literalmente unindo os dois povos.

O assunto promete ganhar discussão mundial, considerando o interesse dos estrangeiros no “Destino Iguassu”. “Para mim é um marketing grandioso para a região”, opinou a jornalista Argentina Kelly Ferreyra, diretora do jornal eletrônico de Porto Iguaçu, www.lavozdecataras.com. No final de semana jornais de circulação nacional também deram espaço para a discussão, além da Rede Paranaense de Televisão que lançou em seu site uma enquete eletrônica, para aferir a tendência dos internautas sobre o assunto. Até a última segunda-feira (23) pela manhã quando o resultado foi apurado, os favoráveis à mudança de nome totalizavam 60,1%.

Fonte: ABN