João Amoedo, candidato a Presidência da República pelo Partido Novo, durante sabatina na rádio CBN (Foto: Marcelo Brandt/G1)
João Amoedo, candidato a Presidência da República pelo Partido Novo, durante sabatina na rádio CBN (Foto: Marcelo Brandt/G1)

Durante uma sabatina realizada nesta quarta-feira (5) pelo site G1 em parceria com a rádio CBN, o candidato à Presidência pelo Partido Novo, João Amoêdo, declarou ser favorável à taxação de igrejas.

Pela lei, as igrejas são isentas dos seguintes impostos: o imposto sobre a arrecadação (imposto sobre a renda obtida – IR); impostos sobre propriedades (IPTU, IPVA); impostos sobre valores arrecadados em serviços prestados (ISS); e outros.

Por ser constitucional, para poder acabar com a imunidade tributária de igrejas, o presidente que for eleito terá que enviar uma Emenda Constitucional para o Congresso Nacional, assim, senadores e deputados federais deverão votar sobre o assunto e então decidir se as igrejas serão ou não obrigadas a pagarem impostos.

Quem é a favor do fim da imunidade tributária para igrejas, afirma que a arrecadação bilionária dos templos, sobretudo os cristãos, traria um valor relevante para os cofres públicos.

Vale lembrar que a lei não é exclusiva para templos cristãos, todas as religiões são isentas desses impostos.

Nessa mesma entrevista, o candidato se colocou contra a revogação do estatuto do desarmamento, a descriminalização da maconha, as cotas nas universidades públicas e a favor da adoção de crianças por casais homossexuais.

Fonte: G1 e JM Notícia