Pela primeira vez um juiz ordenou a retirada de um crucifixo da sala de aula de um estabelecimento público. O magistrado respondeu assim à queixa de uma associação local de defesa da escola laica apoiando-se sobre a Constituição espanhola.

A ministra da Educação exortada a pronunciar-se sobre a decisão do tribunal administrativo de Valladolid disse que “a sentença reflete o que está escrito na Constituição espanhola e o caráter laico do Estado”.

Apesar da Constituição de 1978 garantir o caráter laico do Estado e das suas instituições os símbolos católicos continuam muito presentes em Espanha 30 nos depois do fim da ditadura que elevou o catolicismo à religião do Estado.

Em defesa da posição da Igreja neste caso o Arcebispo de Sevilha comenta que“não se deve tentar apagar os símbolos mas ajudar as pessoas a respeitá-los seja a religião que for”.

Em 2006 um caso semelhante fez polêmica em Jean no sul do país mas os responsáveis regionais anteciparam à justiça e ordenaram a retirada do crucifixo da parede.

Fonte: Euronews