A cristã e ex-bruxa Jenny Weaver
A cristã e ex-bruxa Jenny Weaver

A cristã e ex-bruxa Jenny Weaver disse que antes de aceitar Jesus como seu Senhor e Salvador, ela passou nove anos de sua vida praticando bruxaria, abusando de drogas e obedecendo aos sussurros que ela acredita serem demônios a “atormentando” com o comando: “Vá corte-se, corte-se, corte-se.”

Em uma entrevista para o The Christian Post, Weaver, 39, explicou por que ela acredita firmemente que o Halloween é “o playground de Satanás”. Weaver descreve data como tal porque é um dia em que bruxas e feiticeiros dedicam mais tempo à prática de bruxaria para acessar o reino demoníaco, acrescentou ela.

Como alguém que viveu como uma bruxa por quase uma década, Weaver disse que sabe que, durante o Halloween, bruxas e bruxos acreditam que o véu que separa o reino demoníaco do reino terrestre é mais fino do que o normal, tornando a capacidade de quem pratica bruxaria tem acesso a mais do reino demoníaco.

Weaver disse que o Halloween se originou do antigo festival celta de Samhain , que foi registrado nos livros do século IX. Nos festivais, que aconteceriam ao anoitecer de 31 de outubro, Weaver disse que os celtas acenderiam fogueiras, vestiam fantasias e passavam a noite convocando os espíritos dos mortos.

Os celtas que praticavam isso invocavam os espíritos dos mortos para virem até eles e vagarem pela Terra, de acordo com a Weaver. As fantasias, disse ela, eram usadas pelos celtas porque eles acreditavam que os disfarces impediriam os espíritos “malignos” de reconhecê-los.

“Halloween não é apenas sobre doces e fantasias divertidas, e você não pode separar as origens do Halloween do Halloween de hoje,” disse Weaver. “Você não pode separar um feriado que foi criado para bruxaria … da mesma forma que você não pode pegar um tabuleiro Ouija e dizer que vai usá-lo para falar com o Senhor. As pessoas precisam tomar uma decisão consciente de servir ao Senhor, porque você não pode servir a demônios e a Deus. ”

Para Weaver, sua curiosidade anterior sobre o reino demoníaco começou durante sua adolescência. Embora ela tenha sido criada em uma família cristã, ela disse que seus pais e outros membros da família a abusavam.

Embora Weaver tivesse alguns amigos na escola, ela disse que um grupo de alunas costumava intimidá-la porque ela havia começado a desenvolver vitiligo – uma condição que faz com que áreas da pele percam a pigmentação.

Como resultado, Weaver sentiu que era uma pária em casa e na escola, levando a uma depressão severa e lutas com a autoestima.

Quando ela tinha 13 anos, ela visitou a casa de um amigo onde ficou cativada e intrigada pelo filme “The Craft” (no Brasil: “Jovens Bruxas”), de 1996 , que é sobre quatro bruxas do ensino médio que se vingam de seus valentões.

Após sua exposição ao filme, Weaver disse que começou a ler e estudar sobre como ela também poderia se tornar uma bruxa.

Em uma entrevista de 2019 com o televangelista Sid Roth, apresentador de “It’s Supernatural”, Weaver detalhou por que começou a estudar como se tornar uma bruxa.

“Eu estava procurando por controle em situações, em uma vida onde eu sentia que não tinha controle algum”, Weaver disse a Roth em uma entrevista postada no YouTube. “E para mim, parecia que essas quatro bruxas que foram para o colégio estavam fazendo esses valentões pagarem por importuná-los [e] eles estavam fazendo as pessoas gostarem deles e conseguindo todas as coisas que eles queriam. Então eu olhei para isso e disse: ‘Eu também quero isso.’ ”

Weaver disse que sua jornada anterior ao ocultismo começou “inocentemente”. Ela queimaria sálvia e usaria cristais de cura em uma tentativa de encontrar a felicidade dentro de si e acessar o poder do reino espiritual demoníaco.

No entanto, antes que ela percebesse, a trajetória de sua vida deu uma guinada “assustadora” e “assombrada” quando ela começou a se aprofundar em feitiços de bruxas e outras práticas ocultas.

Pouco depois, Weaver se mudou para uma nova casa onde morava com uma colega de quarto que era uma bruxa praticante e descendia de uma longa linhagem de bruxas.

Devido ao seu grande envolvimento em práticas ocultas, as duas mulheres começaram a experimentar assombrações em sua casa.

Em uma ocasião, Weaver disse que ela e sua colega de quarto estavam em quartos separados quando, de repente, as duas começaram a sentir uma presença maligna na casa. Cada uma delas saiu de seu quarto e entrou no corredor, onde perguntaram uma a outra o que estava acontecendo.

“A luz do corredor se apagou e nós duas caímos no chão e o vidro voou para todos os lados”, disse Weaver. “Em outras ocasiões, eu e meu colega de quarto ouvíamos continuamente arranhões e batidas nas paredes quando deitávamos para dormir e víamos coisas se movendo por conta própria.”

Weaver e sua colega de quarto sentiram que havia maldade em sua propriedade. Para aliviar o que estavam experimentando, elas plantaram um jardim de malmequeres, que Weaver disse ser uma flor que afasta o mal das casas.

“Ficamos bem por um dia e no dia seguinte, quando fomos olhar os malmequeres, vimos que todos eles haviam secado e estavam mortos”, contou Weaver.

Como resultado da prática de bruxaria, Weaver também começou a experimentar drogas e se tornou viciada em metanfetamina e heroína.

“A feitiçaria está relacionada ao abuso de drogas ou substâncias porque as pessoas que se dedicam à feitiçaria muitas vezes tomam substâncias para que possam ser mais abertas ao reino espiritual, e isso muitas vezes leva ao abuso de drogas e álcool”, acrescentou Weaver.

“Sua guarda baixa e você pode estar mais aberto ao reino espiritual quando está sob a influência de álcool ou drogas. E, nesses casos, as drogas e o álcool muitas vezes se tornam idolatria e são vistos como deuses e deusas ”, continuou Weaver.

Nessa época, ela também começou a lutar contra um vício que causa danos a si mesma. Ela costumava se cortar diariamente porque disse que os demônios que ela acreditava terem sido convocados por meio de suas práticas de bruxaria lhe diriam para fazer isso.

Em sua entrevista com Roth, ela disse que em um ponto quando contou os cortes em seu pulso, havia 56 em um braço, fazendo seu braço parecer ter “passado por uma trituradora”.

Por causa das experiências da “casa mal-assombrada”, Weaver também começou a temer que um dia os demônios a matassem durante o sono. Como resultado, ela parou de praticar feitiçaria.

Weaver disse que continuou a abusar de drogas, se cortou diariamente e, eventualmente, se tornou uma sem-teto durante a gravidez e cometeu crimes, o que a levou a ser encarcerada.

“Eu estava cansada de correr e sentir fome e ir de um lugar para outro, de um carro para outro e de um hotel para outro, sem tomar banho”, disse ela. “Eu ficava limpa em uma igreja em algum lugar, e então voltava. Era um tempo de idas e vindas e eu estava começando a ficar cansada de correr. ”

Uma noite, Weaver disse que foi a um quarto de hotel e se sentiu como se tivesse chegado ao fundo do poço. Ela então clamou a Deus, pedindo-lhe que a ajudasse.

Poucos dias depois, ela estava usando drogas no hotel quando de repente ouviu uma batida forte na porta. Foi a polícia. Ela foi presa. No caminho para a prisão, Weaver disse que ficou surpresa porque uma policial começou a ministrar a ela sobre Jesus Cristo.

“Eu nem sabia quem era essa senhora, e ela apenas disse, ‘você tem um propósito. Deus tem um bom plano para a sua vida ‘”, contou Weaver em sua entrevista com Roth. “Eu não lembro o nome dela nem nada. Mas Deus a usou para ministrar a mim e eu nunca mais voltei daquele ponto em diante. ”

Depois daquele encontro com o oficial, Weaver disse que nunca mais voltou às drogas e entregou sua vida a Jesus Cristo.

Agora com quase 30 anos, Weaver compartilha abertamente seu testemunho de como encontrar Cristo depois que ela parou de se envolver em práticas ocultas e como Jesus a livrou do corte e do vício em drogas. Ela compartilha essas contas em sua página do Facebook e site, Jenny Weaver Worships .

Em um vídeo ao vivo no Facebook em 15 de outubro, Weaver compartilhou a “verdade sombria” sobre o Halloween e como ela se relaciona com o reino demoníaco. No vídeo, ela compartilhou o versículo bíblico Efésios 5:11, que ordena aos cristãos: “Não tenha nada a ver com as obras infrutíferas das trevas, mas exponha-as”.

“Eu vim para expor a escuridão. Eu não vim fazer concessões. Eu vim para expor o diabo, ”Weaver proclamou no início de seu vídeo.

“Em 31 de outubro, bruxas em todos os lugares estarão em alerta máximo, todas acordadas, todas praticando o ofício, lançando feitiços”, Weaver disse a sua audiência no Facebook. “Quando você olha além de Deus e vai para outra fonte, você se abre para o reino demoníaco. Quando nós, cristãos, participamos de algo como o Halloween, não importa suas intenções; não importa se você acha que é fácil, alegre, não é grande coisa. O fato é que é uma data que sempre foi sobre a celebração dos mortos e do reino demoníaco. ”

Para aqueles que já praticaram o Halloween ou a bruxaria, Weaver disse que “sempre há esperança e perdão em Jesus”.

“Não importa como fomos criados, com o que estamos acostumados em nossa cultura, o que a sociedade considera normal na cultura, somos feitos novos em Cristo e ganhamos uma nova vida e cultura Nele”, disse ela. “Precisamos deixar essas velhas tradições de lado e pedir a Deus para nos guiar. Apoie-se cuidadosamente no lado do Senhor, e não no lado da cultura.”

Folha Gospel com informações de The Christian Post