O documentário “A Jihad for Love”, exibido no Outfest, festival de Cinema com temática gay e lésbica, em Los Angeles, conseguiu se destacar nos Estados Unidos, por contar a história de muçulmanos homossexuais.

Rodado em 2007, o diretor e produtor homossexual Parvez Sharma, teve que enfrentar o preconceito para conseguir rodar o longa-metragem em países cuja boa parcela de seus moradores segue o islamismo, como Egito, África do Sul e Índia.

Com o sucesso e a repercussão da produção, Sharma tentará lançá-la em outros festivais ao redor do mundo, além de exibi-la oficialmente nos cinemas americanos a partir desta sexta-feira.

“Há muito diferença entre os muçulmanos, especialmente no modo como eles ligam para a homossexualidade. A maioria deles prefere ignorar o ‘problema’, desde que isso seja mantido em segredo”, disse o produtor.

“A maior dificuldade que tive foi convencer a minha equipe a trabalhar comigo sem ser perseguida, já que a homossexualidade é crime em muitos países que visitamos. De outro lado, teve muita gente que desistiu antes de dar depoimentos”, ressalta Sharma.

Quando “A Jihad for Love” foi exibido no Outfest, críticos de jornais locais chegaram a chamá-lo de o ‘novo Brokeback Mountain.’

Fonte: Terra