A Igreja de Nossa Senhora das Graças, no bairro do Cristo, em João Pessoa, não está podendo utilizar seu sistema de som nas missas até o próximo dia 29.

A determinação foi da Superintendência Estadual de Meio Ambiente (Sudema), que foi acionada por um morador das redondezas, que reclamou do barulho promovido pelas celebrações da igreja.

De acordo com informações da Pastoral da Comunicação (Pascom) da Arquidiocese da Paraíba, no dia 30 será realizada uma audiência na Sudema para solucionar definitivamente a situação. A assessoria jurídica da Arquidiocese já foi acionada para representar a igreja na audiência.

Depois de acionada, semana passada, a Sudema foi até o local para aferir a intensidade do ruído e verificou que os níveis estavam dentro do normal, mas mesmo assim convocou a audiência e, para evitar novos problemas, o órgão determinou que o uso do equipamento fosse cessado. As missas na igreja são realizadas em apenas dois horários ao longo da semana, nas terças-feiras e domingos, sempre às 19h30, com as celebrações se encerrando por volta das 21 horas, horário que a própria Sudema considera que ainda seja apropriado. Sem usar o som, os fiéis que vão à missa não conseguem ouvir direito as orações e precisam desligar os ventiladores.

Entre os paroquianos, no entanto, sobram queixas. Aldemir Nicolau, por exemplo, considera a determinação uma forma de censura. “Não sei por que o pessoal da igreja está tentando abafar o caso, mas o fato é que o povo está revoltado com essa decisão da Justiça, que se baseou na denúncia de apenas uma pessoa e até agora nada foi normalizado”, reclamou. Já Maria José Alves de Macena conta que até os vizinhos que são evangélicos estão contrários à proibição. “Este som não incomoda ninguém”, garante. A reportagem não conseguiu ser atendida pelo Frei Rômulo, responsável pela igreja.

Fonte: Jornal da Paraíba