A Arquidiocese do México recomendou às mulheres católicas que, para evitarem agressões sexuais, não usem roupa “provocadora” nem façam cirurgias plásticas ou dirijam piadas “picantes” aos homens.

A recomendação consta de um documento sobre valores, dedicado ao pudor, que a instituição religiosa publicou há quatro dias, como material preparatório para o VI Encontro Mundial das Famílias, que se realiza no México em Janeiro de 2009.

“Se quer evitar uma agressão sexual, não use roupa provocadora, tenha cuidado com os olhares e gestos, não fique sozinha com um homem, ainda que seja conhecido. Não permita familiaridades com os seus amigos ou parentes, não admita plásticas ou piadas picantes, procure ajuda quando suspeitar de uma má intenção”, assinala o documento, escrito pelo padre Sergio Román del Real.

O sacerdote lembra que o corpo humano “é obra de Deus” e “a mais perfeita das suas obras”, criticando que, “como a coisa mais natural”, agora as mulheres usem “mini-saias e biquínis”.

Sergio Román del Real define como pudor “o recato com que se guarda o sagrado, o que é a expressão do verdadeiro amor” e como o “reservar para ser amado” os incentivos sensitivos e prazenteiros “que levam a ter filhos”.

O prelado lamenta que, atualmente, o corpo seja exibido quotidianamente e pede aos pais que ensinem os seus filhos a comportarem-se com pudor no lar, caso contrário será “prostituir” o corpo, ainda que “mentalmente”.

Fonte: Lusa