A Justiça dos EUA atenuou as acusações contra o rabino Henry Sobel, preso no último dia 23 de março em Palm Beach (Flórida) após ser flagrado em circuito de vídeo furtando gravatas avaliadas em cerca de R$ 1.370.

Agora, se condenado, Sobel deverá prestar serviços comunitários. O crime, de pequeno potencial ofensivo, não deve ser punido com detenção. A primeira audiência, ontem, foi adiada a pedido da defesa, que justificou más condições de saúde.

O religioso responde por três acusações de pequenos furtos (duas das quatro gravatas teriam sido levadas da mesma loja, a Giorgio Armani). O processo foi transferido do tribunal estadual para o tribunal do condado de Palm Beach. As acusações contra Sobel foram reavaliadas pela promotora do caso, Jill Richstone. Não há previsão para o novo julgamento.

Fonte: Folha de São Paulo