Um grupo de mais de uma centena de líderes religiosos muçulmanos propuseram uma reunião em Roma com o papa Bento XVI para continuar o diálogo religioso que começaram em outubro, segundo informou hoje a “Rádio Vaticano”.

As datas do possível encontro seriam no final de fevereiro ou início de março, segundo as mesmas fontes.

A vontade dessa reunião foi expressada em carta do presidente do Instituto Aal al-Bayt para o Pensamento Islâmico, o príncipe Ghazi bin Muhammad bin Talal, ao papa.

A proposta de encontro acontece após uma troca de cartas entre os líderes religiosos.

No mês de outubro um grupo de 138 sábios muçulmanos, liderados por Talal, escreveu uma carta a Bento XVI na qual afirmaram que o futuro do mundo depende da paz entre muçulmanos e cristãos.

O Papa respondeu em novembro com outra carta na qual defendia a instauração de um diálogo de religiões “baseado no respeito”.

Na carta divulgada hoje, Talal declara que o grupo dos 138 líderes muçulmanos estão “disponíveis para encontrar” o chefe da Igreja Católica em Roma, encorajados pela recente visita ao papa do rei da Arábia Saudita, Abdullah bin Abdul Aziz al-Saud.

“Nosso motivo para o diálogo é essencialmente o desejo de buscar a boa vontade e a justiça para praticar o que nós muçulmanos chamamos rahmah e vós chamais de caritas”, segundo o trecho da carta dos sábios divulgado na página digital da “Rádio Vaticano”.

Fonte: EFE