A responsável informou que a criança tem problemas mentais. Mulher e marido foram conduzidos ao DPJ de Cariacica.

Uma menina de oito anos, com problemas mentais, foi encontrada acorrentada dentro de casa por duas vezes em uma semana, nos dias 10 e 11 de junho. O caso aconteceu em Vale dos Reis, Cariacica, Espírito Santo. A responsável disse para a polícia que iria para a igreja e argumenta que faz isso para evitar que a criança vá para a rua. Mãe de nove filhos, a mulher foi levada para do Departamento de Polícia Judiciária (DPJ) da cidade, ao lado do marido, que é padrasto da vítima.

De acordo com a polícia, na segunda-feira (10), houve uma denúncia de que a menina sofria maus tratos, policiais foram até a casa da família e flagraram a menina acorrentada pela primeira vez. A mãe disse que não acorrentaria mais a filha, mas, nesta terça-feira (11), o fato se repetiu. Os vizinhos testemunharam que a criança passa o dia presa à parede da cozinha.

Segundo uma familiar que preferiu não se identificar, os pais não trabalham e vivem do dinheiro que a menina recebe do INSS. “Os pais só querem o dinheiro que a menina recebe. Por ser filho do padrasto da menina, resolvi denunciar porque não tem condições. É uma situação de calamidade e acho uma pouca vergonha. É uma criança que depende cuidados”, disse.

O Sargento Silva, da Polícia Militar, conversou com a mãe e ela alegou o motivo de manter a criança presa. “Segundo os pais, eles acorrentam a menina porque ela costuma ficar agitada e quebrar tudo dentro da casa”, explicou.

[b]Fonte: G1[/b]