Cristãos orando durante culto na Índia
Cristãos orando durante culto na Índia

Uma organização líder de defesa da liberdade religiosa sediada na Índia registrou mais de 200 incidentes de violência anticristã em 2019.

A Alliance Defending Freedom (ADF, sigla em inglês) na Índia, mostra que houve 218 casos perseguição religiosa desde o início do ano, sendo que a maioria dos atos de violência foi praticada por multidões.

Surpreendentemente, apesar da alta frequência de ataques, apenas 25 relatórios policiais foram arquivados, indicando uma clara desconfiança do processo policial e judicial.

“Embora o recente relatório do ADF na Índia sobre o aumento da violência anticristã seja chocante, também não é surpresa”, disse à Faithwire o gerente regional da International Christian Concern para o sul da Ásia, William Stark.

“Desde que o Partido Bharatiya Janata (BJP, sigla em inglês) assumiu o controle do governo central da Índia, os ataques a minorias religiosas, incluindo cristãos, vêm aumentando.”

Desde que o BJP aumentou o poder em 2014, Stark observou que “os ataques a cristãos na Índia mais que dobraram”.

“A Irmandade Evangélica da Índia (EFI, sigla em inglês) documentou 147 incidentes de violência anticristã em 2014, ano em que o BJP assumiu o controle do governo central”, acrescentou. “Esse número subiu para 351 incidentes documentados em 2017 e 325 incidentes documentados em 2018”.

O aumento da violência anticristã, disse Stark, foi o resultado de “um ciclo previsível”, que ele explicou em detalhes.

“Primeiro, políticos do BJP e líder nacionalista hindu usam retórica e políticas religiosamente divisivas para obter ganhos políticos. Em seus discursos, esses líderes e políticos destacam cristãos e muçulmanos como seguidores de “crenças estrangeiras”, indivíduos “antinacionais” e merecedores de suspeita “, disse Stark ao Faithwire.

Essa retórica venenosa “incita a violência minoritária perpetrada por grupos nacionalistas hindus radicais”, acrescentou Stark.

“Após esses incidentes de violência, as autoridades locais pouco fazem para ajudar as comunidades minoritárias vitimadas, conforme documentado no relatório do ADF. Esse ciclo de incitação e impunidade é essencialmente o que está impulsionando o aumento da violência anticristã na Índia”, afirma Stark.

A ala internacional da ADF possui escritórios na América do Norte, América Latina, Europa e Sul da Ásia, à medida que busca se envolver em “advocacia perante instituições e tribunais nacionais e internacionais, incluindo a Corte Europeia de Direitos Humanos, o Parlamento Europeu e as Nações Unidas. Isso, de acordo com informações em seu site.

“Até agora, nenhuma organização legal cristã teve a capacidade de desafiar efetivamente os oponentes à fé e à liberdade no sistema jurídico internacional”, observou o grupo de defesa. “O ADF está fazendo a diferença.”

Entre suas vitórias legais, o ADF conseguiu vencer as primeiras condenações criminais de autores envolvidos no assassinato de cristãos no estado de Odisha, na Índia.

A ameaça mais proeminente enfrentada pela comunidade cristã vem de um grupo de radicais nacionalistas hindus que querem ver os seguidores de Jesus erradicados de seu país.

“Como os nacionalistas hindus radicais veem os seguidores de Jesus como alheios à nação, todos os cristãos na Índia estão sofrendo perseguição”, observa a Portas Abertas.

“Impulsionados pelo desejo de purificar seu país do Islã e do Cristianismo, os nacionalistas não evitam usar a violência extensiva para alcançar seus objetivos”, declara a organização de defesa da fé cristã Portas Abertas dos EUA.

Folha Gospel com informações de FaithWire