A ministra Maria do Rosário (Direitos Humanos) condenou nesta terça (18) a aprovação do projeto de lei que permite aos psicólogos promover tratamento com o objetivo de supostamente “curar” a homossexualidade.

“O projeto significa uma intromissão no Conselho Federal de Psicologia e um retrocesso na medida em que não reconhece a diversidade sexual como um direito humano. Quando se fala em cura, se fala na verdade que as pessoas estão doentes”, disse Rosário.

Proposta sobre ‘cura gay’ é aprovada em comissão presidida por Feliciano

“Somos cientes da nossa responsabilidade de dialogarmos mais para que o projeto não venha a ser aprovado.”

[b]APROVAÇÃO [/b]

Sob o comando do deputado federal Marco Feliciano (PSC-SP), a Comissão de Direitos Humanos da Câmara aprovou nesta terça-feira (18) projeto que permite aos psicólogos promover tratamento com o objetivo de curar a homossexualidade.

A proposta, conhecida como “cura gay”, terá que passar ainda por outras duas comissões da Casa: Seguridade Social e Constituição e Justiça. Se aprovada em ambas, segue para o plenário da Câmara.

A votação foi simbólica: durante o debate, apenas os deputados Simplício Araújo (PPS-MA) e Arnaldo Jordy (PPS-PA) discursaram contrários ao texto. Araújo tentou adiar a votação com pedidos de leitura da ata da última sessão e retirada do projeto da ata –ambos foram rejeitados.

[b]Fonte: Folha.com[/b]