Ataque na Índia deixou Nitish Kumar, 16 anos, com queimaduras em 65% do corpo. (Foto: Morning Star News)
Ataque na Índia deixou Nitish Kumar, 16 anos, com queimaduras em 65% do corpo. (Foto: Morning Star News)

Nitish Kumar, o jovem cristão que teve 65% do corpo queimado em ataque na Índia, não resistiu aos ferimentos e morreu no último domingo (26), após 46 dias hospitalizado, segundo o International Christian Concern (ICC). O adolescente, de 16 anos, foi vítima de um ataque com ácido de extremistas hindus por fazer cultos domésticos em sua casa, numa aldeia no estado de Bihar.

O médico que tratava do menino no Hospital Apollo já havia afirmado que as chances de sobrevivência de Kumar eram baixas. De acordo com o Dr. KN Tiwari, as feridas de Nitish não estavam cicatrizando e não havia pele suficiente para realizar um enxerto.

Na troca de curativos, o garoto perdia muito sangue — sendo necessária uma transfusão de sangue a cada três dias. Além disso, os baixos níveis de hemoglobina tornavam os enxertos de pele arriscados.

Em 11 de agosto, Nitish Kumar voltava do mercado para casa no distrito de Gaya, quando três homens em uma moto jogaram o líquido em seu corpo. Encharcado, Nitish pensou que eles tinham jogado água, “mas logo minha pele começou a queimar”, contou o garoto.

Enquanto Nitish corria para sua casa, ele lembra que “a sensação de queimação aumentava a cada segundo que passava”. O produto inflamável queimou 65% de seu corpo, sendo 15% de queimaduras profundas, disse Sushma Sharma, voluntária do hospital que está tratando de Nitish.

O funeral de Nitish aconteceu na tarde de domingo (26). De acordo com o ICC, até o momento, ninguém foi preso pelo ataque ao menino cristão.

Histórico de perseguição

A família de Nitish tem enfrentado a oposição de extremistas hindus desde que trocaram o hinduísmo pelo cristianismo há dois anos, disse o irmão de Nitish, Sanjeet Kumar, de 17 anos.

“Um mês antes do ataque, alguns extremistas espalharam na aldeia que iam expulsar todas as pessoas que seguem a fé cristã”, disse Sanjeet ao Morning Star News. “Mas não nos desanimou da nossa fé. E de repente esse ataque aconteceu.”

A família Kumar também recebe pequenos grupos em sua casa, com cerca de 20 cristãos — o que provavelmente pode ter deixado os extremistas furiosos. Além disso, todos em sua igreja tem enfrentado hostilidades.

“Nunca ficamos com medo da oposição”, acrescentou Sanjeet. “Continuamos indo à igreja apesar das ameaças. Mesmo hoje, depois do que meu irmão passou, não abandonaremos Cristo. Continuaremos sendo fiéis até morrer.”

Fonte: Guia-me com informações de International Christian Concern