Os cerca de três milhões de muçulmanos que visitam Meca se preparam para finalizar nesta sexta-feira (21) a peregrinação anual (Hajj) a cidade saudita, que acolhe os lugares considerados sagrados por cerca de 1,3 bilhão de islamitas do mundo.

Os fiéis prosseguiram nesta quinta-feira com o ritual de apedrejamento das três colunas que representam o diabo na localidade de Mina, ato que repetirão nesta sexta-feira (21) pelo terceiro dia consecutivo.

As autoridades sauditas comemoraram o fato de que, até o momento, não terem sido registrados incidentes como o que ocorreu em 2006, quando cerca de 600 fiéis morreram ao serem pisoteados durante um tumulto.

Amanhã, os peregrinos darão sete voltas ao redor da “Caaba”, uma construção quadrada chamado pelos muçulmanos de “Baitul Asa” (casa de Deus), para onde todos os seguidores de Maomé no mundo dirigem suas cinco orações diárias.

A peregrinação começou na segunda-feira (17) e chegou a seu ponto culminante no dia seguinte, quando os fiéis cobriram com sua vestimenta branca o Monte Ararat ou “Al Tauba” (arrependimento).

Na quarta-feira, os peregrinos, como todos os muçulmanos do mundo, realizaram a festa do sacrifício (Eid al Adha), uma das principais datas no calendário islâmico, em que são sacrificando animais –cordeiros, vacas e camelos– para lembrar o sacrifício feito por Abraão.

A peregrinação a Meca, que inclui uma visita a Medina, a cerca de 600 quilômetros da cidade santa e onde está enterrado o profeta Mohammad, é um dos cinco pilares da religião islâmica e todo muçulmano apto financeira e fisicamente deve realizar pelo menos uma vez na vida.

Fonte: Folha Online