Um grupo de mulheres da Tchetchênia acusou policiais de atirar contra elas usando armas de paintball nesta sexta-feira, pois elas não estavam usando o tradicional véu islâmico para esconder os cabelos.

Os ataques causam tensões na região de maioria islâmica, comandada pelo líder, Ramzan Kadyrov, que é apoiado por Moscou.

“Um carro cheio de homens usando uniforme militar diminuiu a velocidade. Um deles começou a filmar com seu celular e quando veículo acelerou vimos que eles haviam nos atacado com tinta”, disse uma das vítimas, sob condição de anonimato.

Testemunhas ouvidas pela Reuters confirmaram que homens usando uniformes similares aos da polícia e das forças de segurança locais veem atacando mulheres com armas de paintball e que vários casos similares acontecerem neste mês.

Críticos afirmam que a calma relativa que se impôs na Tchetchênia, em relação as outras repúblicas problemáticas do Cáucaso do Norte, permitiu que Kadyrov impusesse a sua visão da lei islâmica na região.

O ex-militante islâmico, que passou para o lado os russos, veem impondo a proibição de bebidas alcoólicas e obrigando mulheres a usar o véu para cobrir seus cabelos.

“Os ataques com as armas de paintball são uma ordem de Kadyron para reforçar seu poder e controle na região”, disse a ativista dos direitos humanos, Lyudmila Alexeyeva.

Fonte: Folha Online