Crentes reunidos em sua congregação, na Indonésia. (Foto: Reprodução/MNN)
Crentes reunidos em sua congregação, na Indonésia. (Foto: Reprodução/MNN)

A Indonésia é uma das maiores nações de maioria muçulmana do mundo. Os cristãos são minoria, e a Portas Abertas dos EUA o classifica como o 30º lugar mais difícil de se viver como cristão. Mas Bruce Allen, do Forgotten Missionaries International (FMI) diz que está vendo os “resultados de Deus no trabalho” missionário.

“O governo pode dizer que está fechado ao Evangelho, mas isso não significa que o coração de seus cidadãos esteja fechado ao Evangelho”, diz Allen.

O missionário explica que “cada vez mais ouve relatos em primeira mão sobre o que Deus tem feito, mesmo em pequenas congregações, para impactar [suas] comunidades”.

“Às vezes, 90 a 100% da comunidade de maioria muçulmana se engaja no evangelho e tem conversas espirituais com a minoria cristã”, explica Allen.

De acordo com a Mission Network News (MNN), a vida continua a se tornar cada vez mais difícil para os cristãos, mas a perseguição não os assusta nem os deixa em silêncio sobre o Evangelho.

Em vez disso, muitos estão confrontando-a com gentileza e um comportamento semelhante a Cristo.

Na Indonésia, Allen fala sobre a história dos eventos que se desenrolaram em uma igreja do pastor Sukmo, que recebeu apoio do FMI no Natal de 2018.

Durante as celebrações, cerca de 100 famílias muçulmanas se amotinaram do lado de fora. Em vez de ficar em casa, o pastor Sukmo encontrou os manifestantes do lado de fora da igreja, na esperança de acalmar a multidão.

O pastor Sukmo perguntou aos manifestantes por que eles estavam fazendo tamanha comoção, ao que alguns responderam “você não nos convidou para a sua festa de Natal”.

O pastor disse que ouviu deles que queriam aprender sobre Jesus e por que Ele veio à Terra.

“Um muçulmano devoto saberia que Jesus nasceu de uma virgem, veio como a Palavra de Deus para a humanidade e era sem pecado e o operador de milagres. Mas isso é tudo que eles sabem. Eles não sabem sobre o perdão que Ele oferece, o toque de compaixão que Ele tem na vida das pessoas, graça e misericórdia e transformação”, relata Allen.

O missionário disse que esse interesse é prova de que “os muçulmanos estão começando a ouvir os cristãos falando sobre Jesus e desejando saber mais sobre Ele”.

Quando viu o interesse daqueles muçulmanos, o pastor Sukmo e sua congregação convidaram a multidão para a Igreja, onde encontraram a mensagem do Evangelho.

“Estávamos ouvindo histórias e mais histórias sobre como os muçulmanos estão chegando à fé em Jesus Cristo. E isso estava acontecendo numa época em que muçulmanos tradicionalmente militantes estavam atacando as igrejas”, diz Allen.

Fonte: Guia-me com informações de MNN Online