Os fiéis da Igreja Ortodoxa, que administra os principais santuários cristãos da Terra Santa, celebraram ontem o “milagre do fogo sagrado”, tradição que data do ano 1106.

A cerimônia, realizada na Basílica do Santo Sepulcro, onde se encontra o túmulo de Cristo, ocorreu em meio a um forte esquema de segurança.

O patriarca da Igreja Ortodoxa, também responsável pela Basílica da Natividade em Belém, na Cisjordânia, entrou no túmulo onde, após rezar uma prece que os fiéis acompanharam cantando, recebeu a “chama sagrada” e acendeu uma lâmpada de azeite.

Segundo um velho costume, as autoridades – no caso as israelenses – “revistam” o patriarca antes de entrar no recinto sob a cúpula da basílica para comprovar que ele não tem meios para acender o fogo dentro do tumba vazia.

Com a chama sagrada, o dignitário religioso acende as velas dos fiéis que se aproximam antes de ele sair da basílica para distribuir o fogo pelas casas dos fiéis.

Fonte: Gazeta do Povo