O papa Bento XVI fez neste domingo um apelo ao regime do líder Bashar al Assad e à população da Síria para que se restabeleça a convivência pacífica no país árabe e que se atenda “adequadamente às legítimas aspirações” dos cidadãos.

Durante a missa dominical do Ângelus celebrada na residência de Castel Gandolfo, ao sul de Roma, Bento XVI também pronunciou palavras sobre o conflito líbio, para o qual exigiu aos organismos internacionais o relançamento de um plano de paz por meio da negociação e do diálogo.

“Acompanho com profunda preocupação os dramáticos e cada vez mais frequentes episódios de violência na Síria, que deixaram inúmeras vítimas e graves sofrimentos. Convido os fiéis católicos a rezar, para que o esforço à reconciliação prevaleça sobre a divisão e o rancor”, declarou o papa.

“Além disso, renovo às autoridades e à população síria um apelo chamada urgente, para que se restabeleça o mais rápido possível a convivência pacífica e se responda adequadamente às legítimas aspirações dos cidadãos, no respeito de sua dignidade e em benefício da estabilidade regional”, acrescentou.

Bento XVI destacou ainda que, na Líbia, “a força das armas não resolveu” a crise que atinge o país norte-africano há meses e, por isso, se dirigiu à comunidade internacional e aos líderes políticos e militares.

“Exorto aos organismos internacionais e àqueles com responsabilidades políticas e militares que relancem com convicção e determinação a busca de um plano de paz para o país, por meio da negociação e do diálogo construtivo”, indicou o pontífice.
[b]
Fonte: EFE[/b]