A Conferência Episcopal do Paraguai (CEP) pediu ao governo do ex-bispo Fernando Lugo, que terá início no dia 15 de agosto, que defenda o direito à vida e à família “baseado no casamento entre um homem e uma mulher”, como informou hoje em nota publicada hoje no jornal Osservatore Romano.

O comunicado da CEP ressalta que o Estado do Paraguai não é de natureza religiosa, “deve respeitar a liberdade religiosa de culto e de consciência”, os valores da vida e da família “baseada no matrimônio entre homem e mulher”, e “a promoção integral dos pobres, dos camponeses, dos indígenas, dos idosos, dos doentes e das pessoas abandonadas”.

“Desejamos ao novo governo e ao país que alcance os objetivos de uma autêntica mudança”, afirmam os bispos, precisando porém que “a Igreja Católica não se identifica com o novo governo” e “manterá, como sempre fez, a atitude de crítica construtiva”.

Fonte: Ansa