O combate à violência não é apenas uma questão de polícia e deve envolver a sociedade e o Estado. O ciclo vicioso que perpassa pela impunidade, o desemprego e a não reação da população são combustíveis que estão por trás do aceleramento da violência.

Segundo o pastor Estevam Fernandes, da Primeira Igreja Batista da Paraíba, que foi a terceira personalidade a participar da série de entrevistas da Campanha ‘Diga não à Violência’, promovida pelas TVs Cabo Branco e Paraíba às sextas-feiras, todos devem procurar evitar fazer da violência algo corriqueiro.

O pastor acredita que há três fatores que alimentam a violência. “Vejo, o crescimento da violência como conseqüência da impunidade, da passividade da sociedade e o desemprego. Quem mata ou fere sabe que vai ficar solto. Esta impunidade vem desde o meio político e tem efeito cascata, vai incutindo no pequeno que tem de ser assim ”, declarou. “A violência tem de ser punida, porque é violência não importa quem a pratique. O agente deve ser punido para que com ele a violência seja punida”, declara.

Segundo Estevam Fernandes é preciso reagir a esta banalização da violência. “Ficamos estupefatos, mas não fazemos nada”, questiona. De acordo com o líder espiritual, na atualidade há dois grande perigos que envolvem a questão da violência; um, é considerar que é função exclusiva da polícia combater a violência, outra, é absorver a violência como fato já consumado, como um mau necessário ou um carma do terceiro mundo.

O pastor conclama a todos para participar do combate à violência. “Não cabe unicamente a polícia resolver o problema, é preciso uma parceria da sociedade. Além disso, a violência nos atinge enquanto indivíduos e temos de reagir à idéia de que ela se instalou e de que temos de conviver com sua existência”, declara o pastor. “A violência precisa ser evitada e expulsa por completo do dia-a-dia das pessoas”, invoca Estevam Fernandes.

Convidado especial do programa de entrevistas da campanha do grupo Paraíba de Comunicação que propõe discutir temas relacionados à violência, o pastor Estevam Fernandes aproveita o período da Quaresma para fazer um convite especial à população. “Estamos começando a Semana Santa e é preciso lembrar que Jesus Cristo é o príncipe da paz. Se ele reinar no coração da gente, do país e do povo certamente haverá paz”, diz.

Fonte: Jornal da Paraíba