Um evangelista etíope chamado Tedase foi espancado até a morte por militantes muçulmanos, no dia 26 de março, quando ele e duas jovens evangelizavam em uma rua de Jimma.

É a segunda vez em seis meses que cristãos que vivem no sudeste da Etiópia são atacados e mortos por extremistas da seita muçulmana wahabbi (leia mais). De acordo com o International Christian Concern (ICC), na tarde de segunda-feira, Tedase e duas colaboradoras evangelizavam na rua Merkato, onde há uma mesquita wahabbi.

O ICC informou: “Quando os evangelistas passavam perto da mesquita, um grupo de muçulmanos saiu da mesquita e começou a correr atrás deles para confrontá-los. As colegas de Tedase conseguiram escapar da multidão, mas ele foi apanhado, levado para dentro da mesquita e agredido brutalmente até a morte”.

Fontes de Jimma afirmam que os extremistas tinham intenção de matar Tedase. “Não foi um incidente ou um caso em que havia uma multidão descontrolada. O corpo foi levado depois para o hospital para autópsia e Tedase foi enterrado na terça-feira, 27”.

As fontes também revelaram que os cristãos de Jimma estavam conduzindo campanhas evangelísticas e as novas da salvação estavam se espalhando entre os moradores, assim como entre os grupos muçulmanos da área. “Os muçulmanos da seita wahabbi espancaram Tedase propositalmente, como um recado para os cristãos de que eles estão prontos para combater o evangelismo”.

Fonte: Portas Abertas