O pastor Zhang Mingxuan, sua esposa e sua cunhada foram declarados “livres” pelo governo no dia 27 de outubro em Nanyang, província de Henan, como resultado direto de um protesto internacional em favor deles.

Acredita-se que os três estavam presos para evitar que eles participassem do terceiro aniversário da Aliança Chinesa de Igrejas Não-Registradas, que aconteceu em Pequim, em 20 de outubro.

O pastor Mingxuan, presidente da Aliança, foi um dos 300 representantes convidados para participar da celebração. Devido ao assédio policial, apenas cem deles foram até Pequim para participar do evento.

O pastor Mingxuan foi detido em 16 de outubro, após seus filhos, Jian e Chuang, terem sido agredidos pela polícia, e após sua esposa ter sido expulsa do apartamento. O Comitê de Segurança Pública (PSB) enviou dois grupos para prender a família. Um dos grupos buscou o pastor Mingxuan no Aeroporto de Kunming. O outro deteve sua mulher e cunhada em Pequim e levou-as para a cidade de Nanyang, na província de Henan.

Mingxuan ficou detido na delegacia do PSB da cidade de Shilin, província de Yunan, tendo 15 policiais que se revezavam no interrogatório. No dia 23 de outubro, ele foi levado pela polícia até a cidade de Nanyang, onde ficou com sua esposa e sua cunhada no hotel Wenquan até 27 de outubro, quando foram declarados “livres”.

Os filhos de Mingxuan mudaram juntamente com sua família para Nanyang sob pressão policial, logo após o ataque de 16 de outubro. Eles ainda se recuperam dos ferimentos. Chuang, o filho mais novo de Mingxuan, tem de mudar de seu apartamento que está alugado, porque o proprietário está sendo pressionado pelo PSB a despejá-lo. O filho mais velho já foi expulso de seu apartamento.

Acredita-se que o assédio à família Zhang decorre da Iniciativa de Cidadão Informante, que requer que os cidadãos de Pequim delatem quem estiver “engajado em atividades que coloquem em risco a seguridade do Estado, por meio da religião”. Provavelmente, o governo não quer apenas forçar a família Zhang a sair de Pequim, mas quer também reprimir a Aliança Chinesa de Igrejas Não-Registradas.

Após sua libertação, o pastor Mingxuan foi diretamente a Pequim encontrar com os membros da Aliança para fazer o contrato de seu apartamento. Na celebração de aniversário da Aliança, aproximadamente cem representantes emitiram uma declaração pública, dizendo que continuariam praticando sua fé e cuidariam dos pobres e órfãos, a despeito da perseguição.

Após o ChinaAid publicar notícias sobre o ataque à família Zhang, igrejas, autoridades e cidadãos norte-americanos expressaram grande preocupação. Como resultado direto do protesto realizado contra o governo chinês, o pastor Mingxuan foi libertado.

Fonte: Portas Abertas