Radicais hindus na Índia.
Radicais hindus na Índia.

Uma multidão extremista hindu atacou dois pastores no norte da Índia, em 28 de janeiro, incendiando a Bíblia de um deles que desmaiou por causa dos espancamentos.

Acusando os pastores de atrair a família que estavam visitando com dinheiro para se converter, os hindus linha-dura atacaram os pastores Sanjay Kumar e Inderjit, quando desciam do telhado da casa de uma família, onde foram orar com ela.

Mirando câmeras de telefone nos pastores, a multidão hindu os questionou em linguagem grosseira sem deixá-los responder, enquanto seus gestos deixavam claro que pretendiam atacá-los fisicamente, disse o pastor Kumar.

Sanjay Rana, um vizinho e membro do extremista hindu Bajrang Dal, reuniu e liderou a multidão de cerca de 12 pessoas depois de perceber os pastores orando no telhado, contou o pastor.

Exigindo identificação, Rana apreendeu a carteira de motorista do pastor Inderjit e a carteira de identidade do pastor Kumar antes que a multidão começasse a socá-los e esbofeteá-los, disse o pastor Kumar.

Acusando-os de receber fundos estrangeiros e oferecer dinheiro para as pessoas se converterem, os agressores apreenderam o diário do pastor Kumar no qual ele preparava seus sermões. Eles procuravam nomes e endereços de pessoas que imaginavam terem sido ‘fraudulentamente atraídas para se converterem’, disse ele.

Bíblia queimada

Não encontrando tais nomes, eles rasgaram as páginas do livro e de um hinário e os jogaram em uma sarjeta, acrescentou.

Depois de momentaneamente desmaiar por causa do espancamento, o pastor Kumar implorou a eles que devolvessem sua Bíblia.

“A surra deles não me doeu tanto quanto o roubo da minha Bíblia”, disse o pastor Kumar ao Morning Star News. “Comecei a chorar. Eu disse: ‘Esta é a minha Bíblia… este é o meu Jesus. Por favor, me devolva minha Bíblia. Uma mulher e um homem da multidão usando uma caixa de fósforos queimaram minha Bíblia, e ela exclamou sarcasticamente: ‘Veja, eu ateei fogo no seu Jesus’”.

Ainda gravando em seus celulares, os agressores tentaram forçar os pastores a recitar um hino devocional em louvor ao deus hindu Hanuman. Eles também tentaram sequestrar os pastores e levá-los a um templo hindu para forçá-los a se curvarem diante dos ídolos, disse o pastor Kumar.

“Eles começaram a nos forçar a entrar no carro deles”, disse ele. “Quando resistimos com firmeza, eles disseram: ‘Vamos chamar a polícia’.

O pastor Inderjit disse estar feliz com a possibilidade de a polícia chegar e encerrar os 90 minutos de abuso físico e mental. Observando a tontura do pastor Kumar por causa do espancamento, um dos agressores disse que eles deveriam deixá-los ir, e os dois pastores fugiram.

Líderes cristãos do distrito de Gurdaspur, estado de Punjab, realizaram uma coletiva de imprensa na quarta-feira (2 de fevereiro) exigindo ação rigorosa contra aqueles que queimaram a Bíblia. Cerca de 50 líderes cristãos, pastores e anciãos de várias igrejas apresentaram um memorando ao vice-comissário distrital exigindo a acusação.

“A DC [comissão adjunta] foi muito cooperativa”, disse o pastor Inderjit. “Ele condenou o incidente e marcou uma cópia para a delegacia de polícia de Dhariwal, onde uma queixa foi registrada em 2 de fevereiro.”

O vice-comissário do distrito de Gurdaspurt e o SHO de Dhariwal garantiram à comunidade cristã uma investigação justa.

Mudança com a família

Ravi Kumar e sua família deixaram Ambala na terça-feira (1º de fevereiro) e se mudaram para outra área não revelada por razões de segurança.

Ele começou a crer em Cristo depois que sua esposa recebeu oração de cura do pastor Inderjit durante uma visita ao estado de Punjab no ano passado, disse ele. Mais tarde, em 12 de dezembro, Ravi Kumar sofreu um derrame que paralisou seu lado esquerdo e tirou sua capacidade de andar, e dois dias depois o pastor Inderjit orou por ele por telefone, disse ele.

“Depois que ele orou por mim, fui curado”, disse ele, acrescentando que ficou honrado que o pastor Kumar teve tempo para visitá-lo e orar com ele em 28 de janeiro. Eu quero viver uma vida tranquila. Quero a liberdade de adorar o Deus em que acredito.”

Ravi Kumar disse que o Senhor tem sido bom para ele.

“Com a cura de Madhu, comecei a acreditar em Jesus, mas com minha cura minha fé se tornou sólida como uma rocha”, disse ele. “Ele me curou; Por que eu não acreditaria Nele? Por que eu não adoraria o Todo-Poderoso que me curou pela oração feita por telefone? Comecei a acreditar muito fortemente no Senhor. Eu não vou deixá-lo.”

O tom hostil do governo da Aliança Democrática Nacional, liderado pelo nacionalista hindu BJP, contra não hindus, encorajou extremistas hindus em várias partes do país a atacar cristãos desde que o primeiro-ministro Narendra Modi assumiu o poder em maio de 2014, dizem defensores dos direitos religiosos.

A Índia ficou em 10º lugar na lista mundial da perseguição de 2022, da organização de apoio cristão Portas Abertas dos países onde é mais difícil ser cristão. O país era o 31º em 2013, mas sua posição piorou depois que Modi chegou ao poder.

Fonte: Guia-me com informações de Morning Star News

Comentários