Torre Eiffel, na França
Torre Eiffel, na França

O Conselho Nacional de Evangélicos da França (CNEF) publicou uma pesquisa para analisar os efeitos do coronavírus nas igrejas e ministérios evangélicos franceses.

O corpo evangélico enviou um questionário a 2.500 igrejas evangélicas, entre 17 e 29 de abril, e obteve 580 respostas.

Segundo a pesquisa, 31% das igrejas evangélicas que responderam foram afetadas pelo coronavírus , com 72 pessoas mortas.

Um dos principais tópicos do questionário foi o uso de ferramentas e dispositivos digitais para continuar com os cultos e outras reuniões da igreja em casa, devido ao bloqueio.

A pesquisa mostra que 73% das igrejas evangélicas transmitiram seu conteúdo na internet, a maioria por videoconferência (80%). As ferramentas menos usadas foram blogs e sites e pregações externas.

A maioria das igrejas (87%) começou a usar essas ferramentas digitais devido ao coronavírus. Eles compartilham seu conteúdo principalmente por WhatsApp, Skype, Zoom, etc., embora existam muitas igrejas que também usam plataformas públicas como o YouTube ou o Facebook.

A CNEF também perguntou às igrejas sobre suas receitas durante o bloqueio e como elas veem seu futuro econômico.

Algumas igrejas perderam entre 10 a 30% de sua receita, mas também existem muitas igrejas que não perderam sua renda.

Quando questionados sobre como enfrentam essa perda de renda, 54% dos entrevistados acreditam que é “uma dificuldade passageira que nossas reservas ou nossos recursos possibilitarão enfrentar”.

A pesquisa analisou a maneira que eles terão de enfrentar a vida cotidiana das igrejas após a pandemia de coronavírus.

29% das igrejas afirmou esperar que “nada será exatamente como antes”, e “algumas coisas vão ser realmente diferente”, enquanto 56% acha que haverá pequenas mudanças.

Entre os principais desafios que as igrejas evangélicas esperam enfrentar após a quarentena, 31% mencionaram a capacidade de gerenciar “a má imagem dos evangélicos na mídia, tanto em nível nacional quanto local”. Isso tem muito a ver com o polêmico caso da igreja pentecostal identificada no início de março como uma importante fonte de contaminação pelo coronavírus .

Segundo as igrejas pesquisadas, outro grande desafio será atender às novas expectativas que seus membros possam ter após a crise.

Você pode ver a pesquisa completa do CNEF aqui (em francês).

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus