Uma pesquisa de opinião pública conduzida pelo Serviço Mundial da BBC em 25 países, incluindo o Brasil, apontou que 29% das pessoas aceitam a prática da tortura quando usada para se obter informações que possam salvar outras vidas.

Para 59% dos 27 mil entrevistados, a proteção dos direitos humanos não pode ser ignorada. No entanto, 29% se disseram favoráveis a algum tipo de tortura, como no combate contra o terrorismo.

No Brasil, a média de aceitação à prática é um pouco maior do que a global, com 32% admitindo a possibilidade em determinados casos. 61% dos entrevistados brasileiros se disseram contra qualquer tipo de tortura.

Nos Estados Unidos, os percentuais registrados foram de 58% e 36% respectivamente.

“A visão dominante em todo o mundo é que o terrorismo não justifica flexibilizar as leis contra a tortura”, afirma o diretor do Programa sobre Atitude Internacional de Políticas (sigla Pipa, em inglês) da Universidade de Maryland (EUA), Steven Krull.

O Pipa e a empresa de pesquisas internacionais GlobeScan foram contratadas pelo Serviço Mundial da BBC para realizar o levantamento.

Tortura e terrorismo

A pesquisa mostrou que o apoio a métodos de tortura é maior nos países que sofreram ataques terroristas ou que enfrentam casos de violência política.

É o caso da Índia, onde 32% dos entrevistados são a favor de que se relaxe as leis contra tortura. Lá, 23% se opuseram a esse tipo de medida.

Israel foi o país onde se registrou o maior número de pessoas que apoiam algum tipo de tortura – 43% -, apesar de a maior parte dos entrevistados – 48% – se declararem contra.

Entre os países que mais condenam a tortura, estão a Itália (81%), Austrália e França (75%), Canadá (74%), Grã-Bretanha (72%) e Alemanha (71%).

“O levantamento mostra um clima de opinião pública no qual as violações de direitos humanos por governos têm a tendência de causar indignação, especialmente na Europa Ocidental”, afirmou o presidente da GlobeScan, Doug Miller.

As 27.404 mil pessoas foram entrevistadas entre maio e julho de 2006 no Brasil, Alemanha, Austrália, Canadá, Chile, China, Coréia do Sul, Egito, Espanha, Estados Unidos, Filipinas, França, Grã-Bretanha, Índia, Indonésia, Iraque, Israel, Itália, México, Nigéria, Polônia, Quênia, Rússia, Turquia e Ucrânia.

Todos os países são signatários da Convenção de Genebra, que proíbe a tortura e outras formas de tratamentos degradantes.

Fonte: BBC Brasil