Tradicionalmente, prefeitos entregam simbolicamente a chave da cidade ao rei Momo no Carnaval e, mais recentemente, ao Papai Noel, no final do ano. Em Rio Branco, no Acre, o prefeito Raimundo Angelim fez uma entrega bem diferente neste domingo pela manhã e que agradou um importante segmento da sociedade da capital: a dos evangélicos.

Foi durante culto realizado no Sesc-Bosque, como parte de um seminário sobre conquista de cidades, organizado pela Igreja Batista do Bosque, e que teve como principal palestrante a doutora Neuza Itioka. Angelim fez a entrega simbólica da chave da cidade a Jesus Cristo.

Os evangélicos acreditam que o ato – simbólico e profético – tem grande importância no mundo espiritual na quebra de maldições e, principalmente, no processo de crescimento e melhoria da qualidade de vida de seus habitantes nas mais diversas áreas, não só na parte econômica, mas também na redução de violência.

Esta não é a primeira vez que se realiza um ato simbólico deste tipo no Estado. Quando assumiu o seu primeiro mandato em 1999, o então governador Jorge Viana fez ato semelhante, entregando a chave do Estado a Jesus Cristo, ato repetido no seu segundo mandato e agora reafirmado pela prefeitura de Rio Branco.

“Este é um ato de grande importância no mundo espiritual e que trará reflexos diretos na vida da população”, disse a doutora Neuza Itioka, que conclamou os mais de mil fiéis presentes ao evento a reunirem-se diariamente em oração intercedendo pela cidade e pela administração do município e do Estado.

Fonte: Notícias da Hora