O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, voltou a criticar a Igreja Católica no país. Ele afirmou que o governo está sempre disposto a oferecer a outra face, além do coração, em defesa dos interesses da Argentina, mas aqueles que pregam o Evangelho _ ponderou _ “às vezes não oferecem a outra face”.

As declarações do chefe de Estado foram feitas em resposta à afirmação do presidente da Conferência Episcopal Argentina, Cardeal Jorge Mario Bergoglio, arcebispo da capital, de que “a Igreja foi, é e será sempre perseguida” e que “o testemunho dessa fidelidade incomoda e enfurece o mundo”.

Dando continuidade à sua 93ª Assembléia Plenária, os bispos argentinos analisaram, ontem, a situação das drogas no país e suas conseqüências no âmbito social e familiar.

A plenária da Conferência Episcopal Argentina se encerrará no próximo sábado.

Fonte: Rádio Vaticano