Pastor Silas Malafaia
Pastor Silas Malafaia

O pastor Silas Malafaia, líder da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo, ameaçou qualquer deputado evangélico que votar contra o deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), quando a sua prisão virar pauta no plenário da Câmara.

O parlamentar foi preso anteontem em “flagrante delito” por fazer ameaças a ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) e ao Estado Democrático de Direito, segundo decisão do ministro Alexandre de Moraes.

“Alerta à Frente Parlamentar Evangélica! Deputado evangélico que votar em favor dessa aberração jurídica de manter um deputado preso por suas falas, vou denunciar aos evangélicos, para nunca mais ser votado por nós”, disse ele, na mensagem. “O que está em jogo é o Estado Democrático de Direito Democrático. Absurdo”, acrescentou.

Em vídeo, publicado nas redes sociais, Malafaia disse não concordar com as palavras do deputado, mas afirmou que a prisão de Silveira é “inconstitucional”.

Silveira divulgou um vídeo com ataques a ministros da Corte — em especial, a Edson Fachin, Gilmar Mendes e ao próprio Moraes. Ele foi preso em Petrópolis, cidade da região serrana do Rio, pela PF (Polícia Federal).
Nas redes sociais, Silveira confirmou que a Polícia Federal foi a sua casa, em Petrópolis. “Aos esquerdistas que estão comemorando, relaxem, tenho imunidade material. Só vou dormir fora de casa e provar para o Brasil quem são os ministros dessa Suprema Corte. Ser ‘preso’ sob estas circunstâncias é motivo de orgulho”, publicou.

Ele é investigado em dois inquéritos: o que investiga notícias falsas e ameaças contra membros do STF – caso dentro do qual a prisão foi decretada – e o que mira o financiamento e organização de atos antidemocráticos em Brasília. Em junho, o parlamentar foi alvo de buscas e apreensões pela PF e teve o sigilo fiscal quebrado por decisão de Moraes.

Em depoimento, o deputado negou produzir ou repassar mensagens que incitassem animosidade das Forças Armadas contra o STF ou seus ministros.

Os ministros do STF votaram, por unanimidade, em uma sessão rápida, pela manutenção da prisão do deputado federal Daniel Silveira.

Fonte: UOL