Pastor Silas Malafaia pregando na sua igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo
Pastor Silas Malafaia pregando na sua igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo

O pastor Silas Malafaia é alvo de uma representação criminal por ter proposto um boicote à Natura após a marca colocar em um comercial de Dia dos Pais o ator transgênero Thammy Miranda. A ação é movida pela Aliança Nacional LGBTI+.

O presidente da Igreja Assembleia de Deus Vitória em Cristo (Advec) escreveu que “colocar uma mulher para fazer papel de homem no Dia dos Pais. Uma afronta aos valores cristão”.

De acordo com a Aliança Nacional LGBTI+, que moveu a ação contra o pastor, trata-se de “uma sequência de declarações de ódio exaradas pelo representado que verdadeiramente afiam as facas daqueles que cometem crimes de sangue contra a população LGBTI brasileira”.

Malafaia publicou ainda um vídeo do vereador Alexandre Isquierdo (DEM-RJ), onde ele chama Thammy de “ela”, “garota propaganda”, “mulher” e afirma que a Natura está querendo “promover isso como figura paterna”. 

“Ela pode ter feito uma transformação hormonal, mudou a aparência, mutilou seu órgão genital, mas isso é um problema dela, é a vida dela. O que não pode é a Natura promover isso como uma figura paterna”, diz Alexandre no vídeo compartilhado por Malafaia. O pastor também afirmou que concorda com o vereador.

Para o advogado Jorge Miguel Guerra, membro do Comitê de Direitos Humanos da OAB, o pastor incorreu em crime de transfobia. “Ele incorre no crime de transfobia, previsto na criminalização da homofobia pelo STF no ano passado. Dessa forma, ocorre a equiparação ao crime de racismo e a pena pode chegar até 3 anos”, afirmou o jurista ao Congresso em Foco.

Malafaia publicou um vídeo onde afirma que “não adianta a mídia tentar deturpar a realidade”. Silas voltou a dizer que Thammy é uma mulher.

Veja o vídeo abaixo:

Fonte: Guia-me e Congresso em Foco