Foram suspensos temporariamente pela juíza Alcina Maria Fonseca Beres, titular da 6ª Vara do Trabalho de Santos, os efeitos imediatos da arrematação de um prédio da Assembléia de Deus, em Santos, leiloados na semana pasada pelo Tribunal regional do Trabalho (TRT-SP).

Com a decisão, até que a igreja cumpra integralmente o acordo, que prevê novo parcelamento de uma dívida trabalhista de R$ 50,443 mil, que se arrasta desde 1994, o templo continuará penhorado.

O prédio foi arrematado durante o 8º Grande Leilão do TRT-SP por R$ 190 mil, dinheiro que seria utilizado para pagar a dívida trabalhista de um pedreiro que trabalhou na construção do templo.

A igreja foi um dos 61 lotes arrematados no leilão, que arrecadou R$ 1,801 milhão na última quarta-feira. Dos 133 lotes de bens seriam leiloados, 14 foram quitados pelas empresas devedoras antes do início do pregão. Até agora, o TRT-SP arrecadou R$ 18,397 milhões com os oito leilões realizados no mês de março.

Fonte: Último Segundo