As prisões foram feitas durante investigação sobre uma tentativa frustrada de levar por avião 20 milhões de euros da Suíça para a Itália.

A polícia da Itália prendeu hoje o monsenhor Nunzio Scarano, clérigo do Vaticano, além de um corretor financeiro e um membro dos serviços secretos do país em uma investigação sobre uma tentativa frustrada de tentar levar por avião 20 milhões de euros (US$ 26,1 milhões) em dinheiro da Suíça para a Itália, disse um porta-voz da polícia.

O inquérito foi aberto pelo escritório do procurador-geral de Roma, enquanto ele fazia uma investigação paralela sobre o Instituto de Obras Religiosas, o Banco do Vaticano, que está sob pressão de reguladores internacionais para melhorar a sua transparência. O porta-voz, porém, nega que a investigação envolva o banco.”É um desdobramento.”

Os suspeitos estão sendo investigados por crimes como fraude e corrupção. O advogado de Scarano, Silverio Sica, confirmou a prisão. O clérigo foi suspenso de seus deveres com a Igreja após o início de outra investigação sobre lavagem de dinheiro.

Em fevereiro, o papa Bento XVI nomeou um novo presidente do banco para restabelecer a confiança do público na forma como o Vaticano lida com suas finanças. No início desta semana, o Papa criou uma comissão especial que promoverá uma reforma na instituição financeira. Os promotores estão investigando se o banco violou as leis de lavagem de dinheiro da Itália, uma alegação que o Vaticano nega.

[b]Fonte: Estadão[/b]