Jovens, crianças e adultos adventistas de cinco bairros de Campo Grande, cerca de 500 pessoas, tomaram conta da Avenida Bandeirantes em protesto pela paz e contra as drogas neste sábado por volta das 10h30.

Sob o forte sol, a manifestação pacifica chamou a atenção de quem passava pela via. Com faixas, cigarro gigante, cartazes e até caixão – uma alusão a morte – os manifestantes pararam o ponto comercial.

Batedores da Ciptran (Compahnia Independente de Trânsito) e Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito) organizaram o trânsito.

Estavam reunidos fiéis da Igreja do Sétimo Dia dos bairros Oliveira, São Conrado, Jaci, Leblon e São Conrado. A caminhada de 30 quadras começou na região do Leblon, passou pela Vila Bandeirantes e retornou.

Segundo o arquivista Romenique Silva Brito, de 26 anos, o ato pacífico batizado como “Impacto Esperança” ocorreu após uma semana de preparação espiritual. “Falamos sobre a volta de Jesus Cristo e os riscos das drogas que nos leva à morte”.

Com um cigarro gigante feito de plástico, a menina Letícia Moreira, de 10 anos, mostra o quanto perigoso é o fumo. “Veja são 4.720 substâncias que fazem mal a saúde. As pessoas têm que se tocar e saber que também a bebida destroem o corpo delas”.

Apoio

A passeata tomou conta de meia pista da Avenida Bandeirantes. Os comerciantes, motociclistas, ciclistas e pedestres paravam para ver o movimento com gestos de apoio.

O barbeiro, Jair Soares, de 73 anos, pai de seis filhos disse que atos pela paz têm um significado especial para ele e toda sociedade. “Sou alcoólatra e há 25 anos não bebo com a graça de Deus. É preciso que seja feita uma mudança e se todos fizerem algo, o fogo da floresta será apagado”.

Fonte: MidiaMax