Justin Welby, líder da Igreja Anglicana na Inglaterra

Diante de protestos antirracistas ao redor de todo mundo, a Igreja Anglicana deve reconsiderar as representações de Jesus Cristo como um homem branco.

A avaliação foi feita pelo arcebispo da Cantuária, na Inglaterra, Justin Welby. De acordo com o religioso, a igreja deve olhar com cuidado para as representações, de maneira que todos os fiéis se sintam representados pelas imagens.

“Esse sentimento de que Deus era branco… Você entra em igrejas (ao redor do mundo) e não vê um Jesus branco. Você vê um Jesus negro, um Jesus chinês, um Jesus do Oriente Médio – o que obviamente é mais preciso”, disse Welby, em entrevista à rádio BBC 4.

“Jesus é retratado de tantas maneiras quanto há culturas, idiomas e entendimentos. E eu não acho que jogar fora tudo o que temos no passado é o caminho para fazê-lo, mas penso dizendo: ‘Esse não é o Jesus que existe, não é quem nós adoramos’. É um lembrete da universalidade do Deus que se tornou totalmente humano”, completou.

De acordo com o arcebispo, as imagens da Catedral da Cantuária estão sendo avaliadas diante de manifestações, especialmente frente às cobranças de protestos em diversos países a respeito de estátuas.

Para Welby, é preciso que as pessoas possam perdoar figuras imortalizadas na forma de monumentos, ao invés de derrubá-los.

“Alguns nomes terão que mudar”, afirmou. “Mas, sim, pode haver perdão.”

Não há, porém, uma decisão a respeito do destino das imagens. “Vamos olhar com muito cuidado, colocá-las em contexto e ver se todas elas devem estar lá”, completou o arcebispo.

Após o início dos protestos no Reino Unido, a Igreja da Inglaterra pediu desculpas  por seus laços com a escravidão, dizendo que eles eram uma “fonte de vergonha”.

Fonte: UOL