Cristãos durante culto na Nigéria
Cristãos durante culto na Nigéria

Oito cristãos foram mortos e um prédio de igreja foi queimado junto com algumas casas durante um ataque na semana passada por bandidos no estado de Kaduna, no noroeste da Nigéria, em meio ao que alguns defensores dizem ser uma tentativa de “limpar” o país de seus cristãos.

“Bandidos” armados mataram oito cristãos a tiros e atearam fogo a uma igreja e casas em Ungwan Gaida, na área de Chikun, no estado de Kaduna, na última quarta-feira, de acordo com o órgão de vigilância contra perseguição dos Estados Unidos, International Christian Concern (ICC).

O número de mortos foi confirmado pelo comissário de Segurança Interna e Assuntos Internos de Kaduna, Samuel Aruwan, em um comunicado divulgado à mídia.

As vítimas foram identificadas como Bitrus Baba, Umaru Baba, Gideon Bitrus, Bawa Gajere, Samaila Gajere, Sambo Kasuwa, Samuila Kasuwa e Solomon Samaila.

De acordo com Aruwan, o prédio da igreja demolido pertencia à denominação das Assembleias de Deus.

Em um incidente separado na quarta-feira, as tropas da Marinha nigeriana na área geral de Kujama mataram três “bandidos” e prenderam dois cúmplices depois de repelir um ataque à comunidade Wakwodna perto da vila de Kasso na área do governo local de Chikun, informou o jornal Premium Times da Nigéria .

No relatório anual de 2021 da Comissão dos Estados Unidos sobre Liberdade Religiosa Internacional, o comissário Gary Bauer chamou a Nigéria de um “campo de matança” de cristãos.

“Com muita frequência, essa violência é atribuída a meros ‘bandidos’ ou explicada como hostilidade entre fazendeiros e pastores”, disse Bauer no relatório. “Embora haja alguma verdade nessas afirmações, eles ignoram a verdade principal: os islâmicos radicais estão cometendo violência inspirada no que eles acreditam ser um imperativo religioso para ‘limpar’ a Nigéria de seus cristãos. Eles devem ser parados. ”

O grupo da sociedade civil com sede em Anambra, Sociedade Internacional para as Liberdades Civis e Estado de Direito, estima que pelo menos 1.470 cristãos foram mortos nos primeiros quatro meses de 2021 na Nigéria. O grupo também estima que cerca de 2.200 pessoas foram sequestradas na Nigéria durante esse período.

O estado de Kaduna registrou o maior número de mortes de cristãos, 300, de acordo com a organização. O estado também registrou o maior número de sequestros. Dos 800 registrados em Kaduna, 600 eram cristãos indígenas, “incluindo os sequestrados em áreas controladas por muçulmanos de Birnin-Gwari, Igabi e áreas do governo local de Giwa”.

O Índice de Terrorismo Global classificou a Nigéria como o terceiro país mais afetado pelo terrorismo e relatou mais de 22.000 mortes por atos de terror de 2001 a 2019.

O relatório de 2021 da USCIRF advertiu que a Nigéria “se moverá implacavelmente em direção a um genocídio cristão” se nenhuma ação for tomada.

O extremismo islâmico, particularmente no nordeste da Nigéria, causou milhares de mortes e milhões de desabrigados nos últimos anos.

A Nigéria foi a primeira nação democrática a ser adicionada à lista do Departamento de Estado dos Estados Unidos de “países de preocupação particular” sob a Lei de Liberdade Religiosa Internacional por se envolver em “violações sistemáticas toleradas, contínuas e flagrantes da liberdade religiosa”

Folha Gospel com informações de The Christian Post