Deputados e senadores de bancadas religiosas, que fazem parte da Frente em Defesa da Família, deflagraram ontem ações para tentar impedir a aprovação da proposta que descriminaliza o aborto.

Os religiosos querem ouvir Roberto D’Ávila, presidente do Conselho Federal de Medicina, que manifestou posição do órgão favorável ao aborto até o terceiro mês de gestação.

A posição do conselho é inédita e respalda o anteprojeto da reforma do Código Penal entregue ao Senado no ano passado, que propõe a ampliação das situações previstas para o aborto legal.

[b]Fonte: Folha de São Paulo[/b]