O moderador do Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e presidente da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), pastor Walter Altmann (foto), foi convidado pelo Vaticano para acompanhar, na qualidade de observador, a V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano (CELAM), que estará reunida em Aparecida do Norte, São Paulo, de 13 a 31 de maio.

O papa Bento XVI estará presente na abertura da Conferência, que tem por lema “Discípulos e missionários de Jesus Cristo, para que nossos povos Nele tenham vida”. Além de Altmann foram convidados do mundo evangélico latino-americano, como observadores, o pastor metodista argentino Néstor Oscar Míguez, o pastor pentecostal chileno Juan Sepúlveda, a pastora presbiteriana cubana e co-presidenta do CMI, Ofélia Ortega, e o presidente da União Batista Latino-Americana, pastor Harold Segura.

O CELAM vai reunir em Aparecida do Norte 266 pessoas divididas entre 162 membros, 81 convidados, oito observadores e 15 peritos. Ao longo da história foram celebradas quatro Conferências Gerais na América Latina, chamadas também Assembléias Gerais do Episcopado Latino-Americano: Rio de Janeiro, em 1955; Medellín, em 1968; Puebla, em 1979; e Santo Domingo, em 1992.

As conferências gerais são reuniões de bispos nas quais os pastores analisam a vida da Igreja Católica em seus territórios, descobrem aspectos positivos e negativos, identificam problemas e deliberam de comum acordo sobre as soluções e linhas de ação pastoral.

Além dos três presidentes e dois secretários da V Conferência, figuram como membros 14 cardeais latino-americanos, a presidência do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM) e da Pontifícia Comissão para a América Latina (CAL), os presidentes das diferentes Conferências Episcopais da região, 93 delegados escolhidos pelos episcopados, 15 membros nomeados pelo papa, o secretário-geral do Sínodo dos Bispos, três núncios apostólicos, representantes de Conselhos de Conferências Episcopais e oito bispos de outras Conferências Episcopais.

Entre os convidados figuram 24 sacerdotes diocesanos, quatro diáconos permanentes, 16 religiosos e religiosas, 15 leigos, cinco superiores maiores, três membros da Confederação Latino-Americana de Religiosos (CLAR) e uma representante da Confederação de Institutos Seculares na América Latina (CISAL).

O Vaticano também convidou representantes de cinco movimentos eclesiais da América Latina: Caminho Neocatecumenal, Shalom, Comunhão e Libertação, Schoenstatt e o Sodalício de Vida Cristã, além de representantes de organismos de ajuda.

Fonte: ALC