Crianças cristãs na Índia durante protesto
Crianças cristãs na Índia durante protesto

Famílias cristãs na Índia que foram forçadas a deixar de frequentar a igreja depois que radicais hindus ameaçaram espancá-las e matá-las, prometeram continuar a adorar a Cristo em segredo.

Pastor Singh, que lidera uma congregação no estado de Madhya Pradesh, na Índia, disse à International Christian Concern (ICC), que 15 famílias pararam de ir à sua igreja nos últimos meses depois de enfrentar perseguições nas mãos de radicais hindus.

“A razão para essa queda no público são as ameaças dos radicais hindus”, disse o pastor Singh ao órgão de fiscalização de perseguição sem fins lucrativos. “Os radicais dizem que vão espancar e matar meus membros da igreja se continuarem a frequentar os cultos.”

“Antes de maio deste ano, cerca de 200 pessoas costumavam adorar regularmente em minha igreja”, continuou ele. “Mas agora apenas 50 a 60 pessoas assistem à minha igreja no domingo. Eles estão sob enorme pressão dos radicais hindus”.

Shankar Damor, um homem de 37 anos da aldeia de Kardubadi perto de Jhabua, disse à ICC que sua família parou de frequentar a igreja porque eles estavam sob séria ameaça de ataque físico.

“Em uma reunião em maio passado na aldeia de Kardubadi, os cristãos foram informados de que não deveríamos frequentar nenhuma igreja e nem mesmo orar em nossas casas”, explicou Shankar. “Quando reclamamos com o diktat da aldeia, a vila inteira parou de se associar conosco. Ninguém compareceu aos nossos casamentos e nós ficamos totalmente isolados das pessoas da aldeia.”

“No mesmo mês, quando minha família estava orando em nossa casa, alguém da aldeia chamou a polícia e eu fui levado à delegacia de polícia por falsas acusações de conversões forçadas”, disse Shankar. “A polícia me agrediu brutalmente e me perseguiu enquanto estava sob custódia.”

Apesar dessa perseguição, Shankar disse que sua família continuará a adorar a Cristo – em segredo.

“Estamos em terreno instável como uma família”, disse ele. “No entanto, podemos parar de frequentar a igreja, mas não vamos deixar Jesus”.

Babu Singh Damor, outro cristão da aldeia de Kardubadi, disse à ICC que depois de concluir seu Bacharelado em Teologia, ele queria servir como pastor. No entanto, ele é forçado a praticar sua fé em particular.

“Nós, cristãos, somos monitorados de perto para onde vamos e com quem nos encontramos”, explicou Babu. “É uma vida patética que estamos vivendo. No entanto, não vamos deixar Jesus, ninguém vai arrancar Jesus de nossos corações.”

Pansingh Bhuriah, um cristão de 23 anos de idade e ex-membro da igreja do pastor Singh, decidiu se distanciar da igreja e das atividades cristãs depois que sua irmã foi mandada para a cadeia por falsas acusações de conversão forçada.

“Somos atacados de todos os cantos”, disse ele. “Afeta nosso modo de vida porque nos é negado trabalho na aldeia. Afeta nossa vida social pois ninguém de toda a região assiste a qualquer de nossas reuniões sociais. Fomos obrigados a não nos identificar como cristãos e igrejas e viver como hindus na aldeia. ”

A Índia é a 11ª pior nação do mundo em perseguição cristã, de acordo com a Lista Mundial de Perseguição de 2018 da Missão Portas Abertas nos EUA. Embora a liberdade religiosa deva ser um direito constitucional no país, vários estados indianos implementaram leis anticonversão, tornando ilegal o uso de força ou atração para converter outras pessoas a outra religião. Tais leis são frequentemente usadas por radicais hindus para apresentar reclamações falsas contra os pastores e pressionar os cristãos a não compartilhar sua fé.

Em fevereiro, 13 cristãos, incluindo um casal com problemas visuais e cinco mulheres, foram sentenciados a seis meses de prisão rigorosa por tentarem “converter” os aborígines ao cristianismo, oferecendo-lhes “incentivos”.

“Como cristãos, diríamos, com certeza, não queremos que você suborne alguém para mudar sua religião”, disse Todd Nettleton , da Voz dos Mártires. “Mas, então, você entra em como você interpreta essa lei. Se eu digo a alguém que o único caminho para a salvação é Jesus Cristo, esse indulto é indecoroso? Isso está pressionando-os a se converterem?”

“Os cristãos em particular que estão ministrando são pressionados, atacados, encarcerados e às vezes espancados”, continuou ele. “As portas são muitas vezes fechadas para o Evangelho, mas Deus tem uma maneira de trabalhar, mesmo com as portas fechadas, e assim, oramos para que isso aconteça na Índia.”

Fonte: The Christian Post