Encontrar Jesus no caminho para Emaús. Isto é o acontece ao protagonista de “7 km da Gerusalemme” (7 quilômetros de Jerusalém), filme baseado no romance homônimo de Pino Farinotti, dirigido por Claudio Malaponti, apresentado hoje à imprensa.

Alessandro Forte, interpretado por Luca Ward, é um publicitário em crise, tanto no trabalho quanto na família, que depois de uma série de acontecimentos “particulares” decide partir para a Terra Santa. Lá, percorrendo os sete quilômetros da estrada desértica que vai de Jerusalém a Emaús, ele encontra Jesus, vivido por Alessandro Etrusco. Ou pelo menos um homem que em tudo preenche a imagem clássica do Filho de Deus.

Inicia-se aqui uma relação dúbia entre os dois, insinuando sonho ou loucura. Ao final, o homem se recupera a si mesmo.

“Queria representar um Jesus moderno e humano, sem muitas referências à Igreja ou à religião em geral. Queria que fosse um Jesus universal que se apresenta ao homem de hoje e reascende nele uma chama divina”, afirmou o diretor.

“A particularidade é que houve encontro favorável da parte de muitas religiões. Muçulmanos, judeus e budistas assistiram ao filme e cada um deles encontrou na representação deste Jesus uma dimensão espiritual relativa à própria fé”, acrescentou.

O filme, gravado em grande parte na Síria, em lugares quase proibidos para estrangeiros, foi bem recebido pelos sírios, que também auxiliaram durante a produção. A máxima autoridade religiosa do país, o gran Mufti Ahamed al Din Hassun, afirmou que o filme representaria uma ponte em direção ao ocidente e teria a função de unir os povos.

O filme, que será lançado nas salas italianas na sexta-feira, é produzido pela Artika Film Production, distribuído pela Mediafilm e conta com a participação de Alessandro Haber, Rosalinda Celentano, Eleonora Brigliadori e do próprio Pino Farinotti.

Fonte: ANSA