Um grupo de 138 estudiosos e clérigos do islã enviará uma mensagem de Natal aos cristãos do mundo todo alertando para as atividades dos extremistas muçulmanos, que “apreciam o conflito e a destruição”.

A iniciativa é do mesmo grupo que em outubro último convidou o papa Bento 16, por meio de uma carta, para um diálogo inter-religioso -convite esse aceito no fim do mês passado pelo sumo pontífice, que ofereceu-se para receber o grupo no Vaticano. A data do encontro não foi marcada.

O objetivo da mensagem de Natal é evidenciar a diferença entre o que consideram ser o “mainstream” do islã, representado por eles, e os grupos extremistas. “A própria sobrevivência do mundo talvez esteja em xeque”, alerta o grupo dos 138, que inclui representantes do mundo árabe e outros países, como Irã, Rússia e Bósnia, e é composto por clérigos e teólogos xiitas, sunitas e de outras denominações do islã.

De acordo com seus autores, a mensagem de Natal agradecerá aos cristãos que responderam positivamente à primeira mensagem do grupo, justamente a que convidou Bento 16 ao diálogo.

O papa despertou protestos entre os muçulmanos no mundo todo em setembro do ano passado, em uma palestra na Alemanha. Na ocasião, ele citou, sem endossá-lo, um imperador bizantino do século 15 que criticou Maomé por “sua ordem para espalhar a fé que pregava pelo medo da espada”.

Fonte: Folha de São Paulo