O Conselho Nacional Islâmico da Malásia emitiu uma “fatwa” (decreto islâmico) que proíbe os muçulmanos do país de usarem a internet para investir na bolsa ou efetuar transações econômicas, informou hoje a imprensa local.

Abdul Shukor Hasin, presidente do conselho, argumentou que os investimentos na internet pagam juros e garantem lucro, o que transgride os princípios do Islã.

“Os investimentos via internet devem parar imediatamente”, afirmou Hasin ao jornal malaio “Berita Harian”.

Cerca de 60% dos aproximadamente 24 milhões de habitantes da Malásia –um Estado islâmico moderado– praticam a religião muçulmana, enquanto o resto dos moradores são majoritariamente chineses e hindus, e praticam o budismo, o hinduísmo ou o cristianismo.

Fonte: Folha Online