Sonia Bibi (Foto: Ajuda à Igreja que Sofre)
Sonia Bibi (Foto: Ajuda à Igreja que Sofre)

Uma mulher cristã paquistanesa foi assassinada após se recusar a se converter ao islamismo e se casar com um muçulmano.

Sonia Bibi, 24, foi morta com vários tiros na cabeça em um ponto de ônibus em Rawalpindi, Paquistão, em 30 de novembro.

Uma caçada policial está em andamento contra o suspeito, Muhammad Shehazad, enquanto um cúmplice, conhecido apenas como Faizan, foi levado sob custódia, disse a organização cristã Ajuda à Igreja que Sofre (ACN, sigla em inglês).

A senhorita Bibi teria recusado a proposta de casamento de Shehzad poucos dias antes de ela ser morta.

ACN disse que agora há temores pelo bem-estar de sua família, já que ela trabalhava como faxineira e era a principal fonte de renda.

Neville Kyrke-Smith, Diretor Nacional da ACN (Reino Unido), disse que a morte da Srta. Bibi foi uma tragédia.

“O assassinato de Sonia demonstra o perigo mortal que meninas e mulheres jovens – especialmente aquelas de origens cristãs e outras minorias – enfrentam em situações em que são pressionadas a se casar e abandonar sua fé”, disse ele.

“É urgente que ações sejam tomadas para garantir a segurança desses jovens.

“Pedimos às autoridades no Paquistão e ao nosso próprio governo que ajam agora. Caso contrário, só haverá casos mais trágicos como este.”

A morte da Srta. Bibi ocorre quando outra garota cristã, Maira Shahbaz, 14, continua escondida com sua família por causa de ameaças de morte após escapar de um homem muçulmano que a forçou a se casar com ele e se converter ao Islã.

A ACN está apelando ao Primeiro Ministro Boris Johnson para conceder asilo a Shahbaz. 

Folha Gospel com informações de The Christian Today