Padre Ernani Maia dos Reis, suspeito de assediar e violentar sexualmente oito monges em Minas Gerais.
Padre Ernani Maia dos Reis, suspeito de assediar e violentar sexualmente oito monges em Minas Gerais.

O delegado Daniel Leme Amaral, da Polícia Civil de Minas Gerais, abriu inquérito policial, nesta terça-feira, 5, para apurar as denúncias de crime sexual contra o ex-padre Ernani Maia dos Reis, suspeito de ter assediado e violentado sexualmente oito monges de um mosteiro de Monte Sião (MG), entre os anos de 2011 e 2018, quando liderava a instituição.

Ernani está afastado há três anos do antigo mosteiro Santíssima Trindade e exerce, atualmente, a profissão de psicanalista na cidade de Franca (SP). Ele também deverá prestar depoimento durante o inquérito policial. Vítimas e testemunhas serão localizadas e interrogadas.

O caso foi revelado pelo UOL em reportagem publicada na última quinta (30).

Os crimes teriam acontecido entre 2011 e 2018, quando o religioso era líder do Mosteiro Santíssima Trindade, em Monte Sião, Minas Gerais. As oito vítimas de assédio sexual eram homens, entre 20 e 43 anos. Já das 11 assediadas moralmente, dez eram mulheres.

Ainda segundo o UOL, Ernani negou as acusações, porém se recusou a responder a questões da reportagem. Hoje, ele vive em Franca, no interior de São Paulo, onde mantém um consultório de psicanálise.

O papa Francisco desligou da Igreja Católica o padre Ernani Maia dos Reis. A dispensa foi informada pelo arcebispo de Pouso Alegre (MG), dom José Luiz Majella Delgado. “O Papa Francisco expressamente dispensou do celibato e de todas as demais obrigações inerentes ao estado clerical e decorrentes das Sagradas Ordens o Sr. Ernani Maia dos Reis, que, há anos atrás (sic), integrava uma entidade em Monte Sião (MG)”, diz o comunicado.

Fonte: UOL