Políciais entraram na igreja e encerraram a missa da Sexta-Feira Santa por “aglomeração” em Londres (Foto: Reprodução)
Políciais entraram na igreja e encerraram a missa da Sexta-Feira Santa por “aglomeração” em Londres (Foto: Reprodução)

Policiais visitaram a Igreja Christ the King Polish em Balham, Londres, no último domingo, 11, para se desculpar por interromper uma missa da Sexta-feira Santa.

A missa da Páscoa foi interrompida pelos oficiais porque eles disseram que os fiéis “claramente não estavam socialmente distantes”.

A igreja não foi autorizada a terminar a cerimônia e os paroquianos foram instruídos a voltar para casa, sob o risco de serem multados em 200 libras ou mesmo presos se não fornecerem seus dados.

No domingo, o detetive superintendente Andy Wadey e o superintendente Roger Arditti se dirigiram aos fiéis e admitiram que os policiais estavam errados.

Ele disse: “A intenção do Met é proteger e apoiar as comunidades para que permaneçam seguras durante a pandemia.

“Sabemos, no entanto, que muitas pessoas ficaram muito chateadas com o que aconteceu na Sexta-Feira Santa e lamentamos profundamente isso.

“Desde então, houve uma reflexão e um aprendizado significativos da minha parte, Roger, dos nossos colegas que trabalham conosco localmente e também dos líderes seniores da New Scotland Yard.

“A Polícia Metropolitana realmente deseja atendê-lo e protegê-lo da melhor maneira possível.

“Espero sinceramente que hoje marque o início de um relacionamento renovado, profundo e duradouro com esta igreja e também com as comunidades polonesas em geral”.

As igrejas podiam se reunir para o culto durante o bloqueio, com um número limitado de quantas caberiam com segurança no prédio, seguindo as diretrizes de distanciamento social.

Respondendo ao pedido de desculpas, o arcebispo católico de Southwark, disse que houve conversas “muito frutíferas” com a polícia desde o incidente e que a Igreja continua comprometida com a “cura” e “colaboração”.

“Todos nós compartilhamos o mesmo desejo de seguir em frente na amizade, trabalhando juntos para o bem comum. Estamos comprometidos em possibilitar a liberdade de culto para todos, em ambientes seguros e protegidos”, disse ele.

Folha Gospel com informações de The Christian Today