As igrejas têm dificuldades de debater sobre Aids, pois existe preconceito envolvendo o tema, disse o pastor Airton Schroeder, técnico do Programa de Apoio à Ação Diaconal das Igrejas (PAADI), em seminário sobre experiências de sucesso na prevenção da doença, realizado em Fortaleza na terça-feira, 17.

A organização de ajuda humanitária Diaconia, responsável pelo PAADI, foi convidada ao seminário para apresentar o projeto Aids-Igreja Solidária, desenvolvido em Natal, Fortaleza e Recife.

O projeto Aids – Igreja Solidária tem como objetivo estabelecer parcerias com igrejas locais para o empreendimento de ações de sensibilização, acolhimento e capacitação de pessoas na luta contra a Aids.

De 1983, ano do registro do primeiro caso de Aids no Estado do Ceará, até 2006 foram notificados 7.183 casos. Nos últimos seis anos, foram notificados, em média, 627 casos novos por ano, sendo que mais de dez desses registros são de crianças. Os dados foram mostrados no seminário pelas coordenadoras dos programas municipal e estadual sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)/HIV/Aids, Isabel Chagas e Telma Martins.

O seminário foi organizado pela ONG ConVida, que atua em bairros da periferia de Fortaleza. O objetivo do encontro foi o de sensibilizar igrejas e escolas para o trabalho de prevenção da Aids. Participaram do evento cerca de 30 pessoas, entre pastores, líderes de diversas denominações e integrantes de projetos sociais.

O evento foi encerrado com a apresentação teatral do grupo Nova Luz, da Companhia de Arte e Cultura, e do grupo Meninas do RAP.

Fonte: ALC