Salgadinho levou até para a música o versículo bíblico que diz: “Quem está em Cristo, nova criatura é”. Em seu primeiro CD gospel, Novo Coração (Gospel Records), o ex-vocalista do Grupo Katinguelê praticamente abandona o samba para cantar louvores e músicas evangelísticas. (Fonte: [url=http://www.universomusical.com.br]Universo Musical[/url])

Membro da igreja Renascer em Cristo, Salgadinho já fazia parte do mega-grupo Renascer Praise em 2003, quando lançou seu último disco solo de pagode, Numa Boa, pela multinacional Sony (atual Sony-BMG). Naquele ano ele foi um dos componentes do coral durante a gravação do CD ao vivo Renascer Praise 10, o que se repetiria nos anos seguintes, nas edições 11 e 12.

Mas foi somente no segundo semestre de 2006 que Salgadinho resolver fazer sua estréia oficial na música cristã. E como sugere o título do disco, tudo é novo nessa outra fase de sua vida.

Para a realização do CD, o ex-pagodeiro contou com a experiência da mesma equipe que participa dos demais produtos da Gospel Records. A produção musical é de Dudu Borges e a banda tem músicos tarimbados como o saxofonista Esdras Gallo, o violonista Valmir Borges e a competente Faty nos vocais.

Participação do Katinguelê

Quem espera ouvir os sambas melosos do tempo de Katinguelê surpreende-se logo na primeira faixa, Será Que Vai Chover, de Clóvis de Pinho, cujos versos fazem clara referência à música homônima dos Paralamas do Sucesso, mas num outro contexto. A letra fala da “chuva de bênçãos” – expressão controversa cada vez mais utilizada na música gospel, vista por muitos como modismo – e a melodia tem uma levada latina, com forte presença dos metais.

A faixa seguinte, Me Enviou, é cantada na primeira pessoa (“Ele tocou no meu plano de vida/ (…) Transformou meu choro em alegria), como se fosse um testemunho, embora a música seja assinada por Marcelo Aguiar e Dudu Borges.

A mesma conotação pessoal tem a releitura de Corpo e Família, grande sucesso de Daniel Souza, e Tudo Que Tenho de Valor. Esta última, parceria de Salgadinho com Cid Mauro, define precisamente não só a vida cristã do cantor, como também sua mudança sonora:

“O Senhor modificou meu coração/ Fez da minha vida uma doce canção”, dizem os versos iniciais.

Outras duas músicas autorais, Todas as Nações (com Anderson Lima) e O Dia do Senhor (com Anderson e Juninho do Banjo) possuem temática bastante semelhante, que é o reconhecimento à bondade e à soberania de Deus.

Também assina pela dupla Salgadinho e Anderson Lima, Enche o Meu Ser é a maior surpresa do disco. A melodia elaborada, com bela introdução de piano e um lindo coral, com destaque para o brilho da cantora Faty, não lembra em nada aquele pagodeiro que cantava músicas românticas de apelo popular e pouca inspiração, como Inaraí e Recado à Minha Amada. Curiosamente, um dos grandes sucessos do Katinguelê era a música No Compasso do Criador, título bem apropriado para o momento de Salgadinho.

De Marcelo Nascimento vem Derrama Sua Glória, uma das letras mais espirituais do CD, em que Salgadinho clama pelo poder de Deus para ter sua vida renovada. E já que o assunto são as surpresas de um novo artista, ainda há espaço no disco para o pop-rock, na citada Todas as Nações.

O samba ficou restrito à última faixa do CD. Tocando cavaquinho, o cantor recebe ex-colegas de Katingulelê na música A Voz Que Cura, parceria dele com Juninho do Banjo.

“Estes louvores são dedicados ao Senhor Jesus, assim como toda a minha vida hoje é dedicada a Ele e aos Seus propósitos”, diz Salgadinho, no encarte do CD, resumindo e justificando tantas mudanças.

Fonte: Universo Musical (www.universomusical.com.br)