Depois do assassinato de três cristãos que foram torturados e tiveram suas gargantas cortadas na cidade de Malataya em abril, o ministro responsável pelos assuntos nacionais da Turquia admitiu que o número de crimes cometidos contra cidadãos não-muçulmanos e seus locais de culto têm crescido.

Além disso, há uma clara propaganda dos meios de comunicação contra os cristãos.

Uma circular do ministro encoraja os governadores das províncias a tomarem medidas de precaução.

Mas até hoje, nenhum passo foi dado na direção de reprimir os pretensos pretextos legais contra os cristãos e outros grupos não-muçulmanos, nem de processar aqueles que fazem discursos de ódio que podem incitar a violência.

Série de TV

Outro dia, o episódio da série semanal de grande sucesso na Turquia, “Vale dos Lobos”, apresentada pela TV Show, mostrou cenas que degradavam o cristianismo.

Em uma das cenas, uma personagem deu voz à seguinte ameaça: “Assim como expulsamos os cruzados, nós os expulsaremos. Se você não tem uma arma, deixe-me te dar uma”.

Em uma variação velada dos assassinatos em Malataya, a série mostrou um adolescente aliciado por um grupo nacionalista para matar um editor de livros cristãos.

Calúnia

Os episódios de 8 e 15 de novembro sugeriam que os missionários cristãos eram inimigos da sociedade, ligados a uma rede de venda de partes do corpo humano para a prostituição.

Os cristãos turcos começaram, neste mês, uma campanha de protestos contra o tom claramente anticristão das séries de TV, que vêm repetidamente dramatizando concepções errôneas que a população turca têm sobre os missionários, a Bíblia e as supostos evangelismos de muçulmanos.

Fonte: Portas Abertas